Capa do novo site do Jornal da Orla Jornal da Orla, o site do litoral


  • Início
  • Quem somos
  • Notícias
  • Roteiro
  • Blogs
  • Estilo
  • Galeria
  • Rede
  • Turismo
  • Bloco de Notas
  • Contato
  • Sua opinião
  • Navegue capas
  • Navegue especiais
  • JO na TV


  • Cidades Comportamento Cotidiano Cultura Economia Esportes Estilo Horóscopo Meio ambiente Mídia Moradia e Negócios Opinião Política Porto-Cidade Roteiro Saúde Sociedade Turismo
       
    CAPA Em dia com a Saúde
    O semanário do litoral
      08/07/2007
      Contra a artrose, camarão
      Mírian Ribeiro
     



      Saboroso ao paladar, o camarão tem também propriedades no combate à artrite e à artrose. Trata-se da glicosamina, uma substância contida no crustáceo eficaz na redução da velocidade do processo de desgaste das articulações, melhorando o estado geral e a qualidade de vida do paciente. É o que garante o Zambon Laboratórios Farmacêuticos, multinacional de origem italiana que comercializa o Glucoreumin, que contém em sua fórmula a glicosamina sintética. Na última terça-feira, o Zambom trouxe ao WTC, em Santos, o jornalista, cronista esportivo e gourmet Silvio Lancellotti, para falar sobre o camarão, que é sua especialidade.

      O envelhecimento é uma das principais causas da artrose. A doença acontece quando ocorre a destruição progressiva dos tecidos que compõem as articulações, provocando dificuldade nos movimentos articulares, dores pelo corpo e em muitos casos deformidades, principalmente nos dedos das mãos. Outras articulações muito afetadas também são as do joelho, quadris e coluna. A artrose não atinge apenas a terceira idade, mas quanto mais avança a idade maior é o diagnóstico da doença na população. Por volta dos 40, 45 anos apenas 20% da população sofre do problema. Já acima dos 65 anos a prevalência é de até 57%.

      A genética é um dos principais fatores de risco, ao lado da obesidade (já que o excesso de peso aumenta a pressão sobre as articulações), sedentarismo (músculos fracos aumentam a carga sobre as articulações) e exercícios de alto impacto (ginástica aeróbica, basquete, corrida, entre outros exercícios de impacto sobrecarregam as articulações e aceleram o processo degenerativo).


      Tratamentos

      A artrose não tem cura, mas quanto mais cedo começar o tratamento, mais eficiente é o resultado. Atualmente, calcula-se que cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem de artrose. Vários cuidados preventivos podem ser tomados para evitar ou retardar o aparecimento da doença. Exercícios físicos apropriados de alongamento, de musculação e posturais ajudam a manter a cartilagem saudável. Estas práticas, sendo bem orientadas, aumentam a amplitude dos movimentos da articulação e fortalecem os músculos para que possam absorver melhor os choques, reduzindo assim o risco da doença. O site www.osteoartrose.com.br traz informações sobre o assunto.


      Bom também para o paladar

      Na hora de preparar o prato, é preciso saber cozinhar sem perder as propriedades dos alimentos, ensina Silvio Lancellotti. Todos produtos que vêm da natureza tem suas capacidades nutritivas, é preciso saber como combiná-los de maneira que as propriedades não se dispersem", diz o goumert, que, contrariando as doses normalmente recomendadas, come quatro ovos e toma uma xícara de azeite pela manhã e outra antes de dormir todos os dias.

      Lancellotti, que cursou tecnologia dos alimentos durante seis meses nos Estados Unidos, deu algumas dicas na hora da compra e do preparo do camarão: "escolha o camarão íntegro, com cabeça e corpo de preferência verde (sinal que seu alimento era vegetal) ou alaranjado (indica que não se alimentou de lixo)."Mancha na carrapaça é sinal que foi mal manipulado".

      Segundo ele, o camarão não deve ser congelado cru, pois como tem 80% de substratos de água em seu interior, eles vão se transformar em cristais e congelar as células, e aí o camarão desmancha na hora de fazer. O produto deve ser guardado na parte de baixo da geladeira, que é a mais fria, onde agüenta até uma semana". Outra dica: usar sempre manteiga e não fritar, mas sim derreter. Água só se a intenção é fazer molho (a água faz transferência de nutrientes) e sal somente no final, e se for necessário. "Sal é desidratante".


      Comer queima caloria

      Desde que se comam alimentos específicos que exercem essa função no organismo, os chamados alimentos termogênicos, responsáveis por cerca de 10% do gasto total de energia, segundo a equipe de nutricionistas do portal Minha Vida (www.minhavida.uol.com.br), voltado para saúde e bem-estar. "Ele possuem um efeito térmico que induzem o corpo a gastar certa quantidade de energia durante o processo digestivo. Este efeito é maior após o consumo de carboidratos e proteína do que após a ingestão de gordura", afirmam.

      Quando os alimentos possuem condimentos, esse efeito é prolongado ainda mais, fazendo com que mais calorias sejam queimadas. Entre os principais termogênicos estão a pimenta vermelha, mostarda, gengibre, vinagre de maçã, acelga, aspargos, couve, brócolis, laranja, kiwi, cafeína, guaraná, chá verde, água gelada, linhaça, gorduras vegetais, gorduras de coco e produtos derivados de chocolate. Segundo a equipe, a quantidade a ser ingerida depende das características pessoais, identificadas após uma avaliação nutricional, mas a alimentação deve ser bem balanceada, pois somente o consumo desses alimentos levaria a uma deficiência importante de nutrientes.


      Palestras gratuitas

      Dentro da programação de palestras oferecidas este mês pela Leven – Produtos Naturais, Homeopatia e Manipulação, sempre às 19h, o tema da sexta-feira, dia 13, é "Descubra o seu biotipo (Dosha) na Medicina Ayurvédica e aprenda os seus benefícios", com a psicoterapeuta corporal Alessandra Antonia. Dia 16, "A vida antes e depois da aposentadoria. Como a depressão pode atrapalhar a felicidade", pelo psiquiatra e psicoterapeuta Sidney Costa Gaspar. Dia 25, a pediatra Tereza Semer falará sobre "Manejo do aleitamento materno", e dia 31 será a vez do psicólogo Davidson Lemella abordar "Síndrome do pânico sobre a ótica da terapia de vidas passadas". Em todas as atividades haverá sorteio de brindes. As inscrições deverão ser feitas previamente pelo telefone 3289-9557. A entrada é um quilo de alimento não perecível, que será doado a instituições de caridade.

      Nova descoberta contra a Aids

      Resultados de testes clínicos publicados na revista médica "The Lancet" mostram uma nova esperança para os pacientes soropositivos que já não respondem aos tratamentos mais incisivos. Foram feitos dois testes com a etravirina, medicamento experimental, envolvendo dois grupos de voluntários. Em um deles foi aplicada a nova droga, enquanto o outro recebeu medicamentos placebo, sem nenhum efeito terapêutico. Na 24ª semana do tratamento, 56% e 62% dos pacientes de ambos os testes que tomaram etravirina tinham atingido o objetivo de reduzir a carga viral, contra 39% e 44% dos que receberam o placebo.


      Ciclismo na terceira idade

      O ciclismo colabora consideravelmente com o ganho de massa muscular, com a recuperação do condicionamento físico e trabalha um ponto muito importante, e geralmente deficiente, em quem atinge a terceira idade: a noção de equilíbrio. "Trabalhar o equilíbrio é um dos fatores mais importantes quando as pessoas mais velhas andam de bicicleta, seja na academia ou nas ruas. Vale lembrar que, em ambientes externos, a preocupação com a segurança também deve ser levada em consideração", recomenda André Pedrinelli, médico do esporte e diretor do Comitê de Trauma do Esporte da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

      Dentre as vantagens já conhecidas do ciclismo, estão a facilidade na queima de gordura, perda de peso, o pequeno impacto causado pelos movimentos e a ação tonificadora e de fortalecimento de coxas, panturrilhas, glúteos e abdome. Além disso, pedalar regularmente reduz a suscetibilidade a males relacionados com o estilo de vida moderno, como o estresse e a hipertensão. Estudos indicam que andar de bicicleta durante meia hora por dia aumenta o metabolismo em oito calorias ao minuto e o consumo de gordura pode chegar a 11kg por ano. Mas lembre-se de passar por uma avaliação física antes de começar.


      Amor, fé e saúde
      Rubens Amaral

      Nos meios acadêmicos trabalhos comprovam a eficácia e os benefícios do amor e da fé no tratamento e prevenção de algumas doenças. Amor e fé aplicados num grande espectro, como: caridade, fraternidade, amizade, solidariedade, perdão, misericórdia, afeto, carinho, atenção etc.. As ações de amor e fé produzidas individualmente, coletivamente, por amigos e até a distância, atuam, fundamentalmente, aumentando a imunidade das pessoas, melhorando a capacidade de defesa e reação frente ao agente agressor, quer seja ele metabólico, infeccioso, neoplásico, neurológico, psicológico, social ou laboral.

      Não é de hoje que os homens conhecem a força que brota do amor. Inúmeros os casos onde a medicina se depara com curas jamais esperadas, não conseguindo explicar como pacientes, totalmente desenganados pela ciência médica, se recuperam e ficam curados. Desta forma podemos relembrar a máxima, que diz: "Não existem doenças e sim doentes". Pessoas portadoras da mesma patologia respondem diferentemente aos mesmos tratamentos. - Por que isso ocorre? Vários são os motivos, desde a relação que a pessoa tem consigo mesma, sua disposição de espírito, sua relação com seu Deus ou com uma força sobrenatural, sua fé, a relação fraterna e de confiança com seu médico, suporte familiar, emocional, adesão aos esquemas terapêuticos, hereditariedade etc..

      Há os que não acreditam que nossos pensamentos e nossa fé possam interferir no resultado final dos tratamentos médicos. Por outro lado existem pesquisadores e médicos que afirmam que pensamentos positivos podem modificar os resultados tradicionalmente esperados. Relembro aos mais céticos que desde os bancos universitários aprendemos que situações de estresse, tristeza ou alegria estimulam glândulas a produzir hormônios responsáveis pelas reações naturalmente observadas frente às situações desencadeadoras. Ora, se espontaneamente, frente ao que vemos ou acreditamos, conseguimos gerar hormônios poderíamos, devidamente treinados e capacitados, amplificar essa nossa resposta natural e nos acostumarmos a pensar positivamente produzindo reações para melhorar nossa saúde e bem-estar. É possível?

      Eu diria que sim, mas repito, é preciso muito treinamento. Precisamos acreditar mais em nosso potencial, precisamos ter mais fé. Precisamos agir agora como se o que acreditamos e queremos já estivesse acontecendo; isto é fé.

      Essa atitude de coragem que a fé nos impele modifica nosso ser por inteiro e faz os milagres acontecerem. Chame de milagre, se quiser, visto como coisas impossíveis de acontecer, sobrenaturais ou de difícil explicação. Milagres que estão acontecendo todos os dias, fruto de um mergulho para águas mais profundas em nosso próprio ser, em que descobrimos, o que a ciência médica ainda não conseguiu explicar, qual seja, que fenômenos extraordinários são, absolutamente, ordinários, naturais, brotando de nossas próprias forças que estão prontas para serem acionadas no mais íntimo de nosso ser, onde está Deus.

      Aliás, lembro, para finalizar, que somos feitos à imagem e semelhança de Deus, do Criador e somente somos semelhantes a Ele quando conseguimos criar e produzir amor. Amor que cria a fé, fé que gera coragem e coragem que produz cura. Muitas são as passagens no Evangelho em que Jesus Cristo diz: "Tua fé te salvou". "Vai, tua fé te curou". Paralíticos voltaram a andar, cegos a enxergar e até mortos ele ressuscitou. Se você quer curar uma doença, se você quer melhorar sua saúde, comece a treinar para um mergulho para dentro de seu coração, porque, como diz o evangelista: "Onde está o teu tesouro, aí também estará o teu coração". Um saudável e fraterno abraço.