Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017
Colunistas - 15/11/2017

Christian Moreno

Christian Moreno é jornalista e assina a coluna "TV em Transe" desde 1999.

TV em Transe

Racismo minimizado

A Rede Globo tomou a decisão que considerou justa e afastou o profissional

O comentário que levou William Waack a ser afastado de suas funções na Rede Globo vem dando muito pano pra manga.


Há quem considere a decisão de emissora exagerada, como se o depreciativo “não vou nem falar, porque eu sei quem é ... é preto. É coisa de preto” acompanhado por uma risada fosse algo plenamente aceitável. Não, ainda mais vindo de um jornalista. 


Alguns pares de Waack saíram em sua defesa. Reinaldo Azevedo, seu amigo, classificou a atitude do camarada como um “gracejo”. Rachel Sheherazade, sempre delirante, vê um viés ideológico no ocorrido e diz que o “hipocritamente correto” venceu. Augusto Nunes disse que Waack proferiu um “punhado de frases sem importância”.


Ou seja: para eles, ao que parece, não houve manifestação racista por parte do colega. Preferem ressaltar suas qualidades e minimizar aquilo que o vídeo vazado na internet mostra.   


A Rede Globo tomou a decisão que considerou justa e afastou o profissional. Diferente do que a direção da Band fez anos atrás, por exemplo, dando de ombros no episódio em que Bóris Casoy humilhou garis - que lhe rendeu uma condenação na Justiça.


Vale lembrar que nos Estados Unidos, “terra da liberdade” exaltada por estes mesmos jornalistas que citei, manifestações preconceituosas fizeram vários jornalistas renomados serem demitidos de uns tempos pra cá. Isso em grandes redes como Fox, NBC e ABC.

 

Tchau, colunismo eletrônico!  – Depois de um tempo na Rede TV!, Amaury Jr. acertou seu retorno à Band. E ele decidiu inovar: deixará de lado o colunismo social para se aventurar pela primeira vez na carreira como apresentador de programa de auditório! A atração será mensal, provavelmente na noite de sábado. 

 

Desinteresse – Nem a (nova) despedida de Felipe Massa chamou a atenção e fez o ibope do Grande Prêmio Brasil de Fórmula-1 dar uma acelerada. Com o campeonato já decidido por antecipação e sem um brasileiro de destaque entre os ponteiros, foram apenas 14 pontos de média para a Rede Globo, uma das piores da história do GP.