Notícias | 16/04/2018

Alta reprovação explica mau humor de Doria

Da Redação
Rovena Rosa/ABR

Gestão à frente da Prefeitura de São Paulo é rejeitada por 47% dos eleitores

Nos últimos dias o ex-prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), vinha mostrando sinais de profunda irritação. Ele intensificou os ataques ao governador de São Paulo, Márcio França (PSB), a quem, de forma apelativa, chamou de “Márcio Cuba”.


A pesquisa Datafolha, publicada nesta segunda-feira (16), explica o mau humor do político. A administração relâmpago de Doria (que só ficou 13 meses à frente da maior prefeitura do país), é reprovada por 47% dos eleitores da Capital.


O Datafolha indica um futuro próximo sombrio para o ex-prefeito de São Paulo. Embora lidere a corrida ao Palácio dos Bandeirantes com 29% dos votos, contra 20% do candidato do MDB, Paulo Skaf, e 8% do governador Márcio França, Doria é o segundo mais rejeitado pelo eleitorado (33% dizem que não votam nele de jeito nenhum), só à frente de Skaf (rejeitado por 34%).


Potencial de crescimento
Não é de graça, portanto, que Doria ataca Márcio França e não Skaf.  Pesquisas internas do PSDB já mostravam o que o Datafolha tornou público.


Segundo o Datafolha, só 9% dos eleitores sabem que Márcio França é o governador de São Paulo. Ainda assim, ele tem 8% das intenções de voto, e uma taxa de rejeição de 11% menor que a de Doria.


O potencial de crescimento do governador é bastante grande e Marcio ainda conta com o apoio de centenas de prefeitos do Estado e de 13 partidos políticos.


Essas razões explicam o péssimo humor do ex-prefeito da Capital. Conforme as eleições se aproximam, o jogo deve ficar mais pesado. Convém tirar as crianças da sala. 
 


Leia também