Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cotidiano/Comportamento | 04/08/2018

Agosto, um mês diferentão?

MARCO SANTANA - DA REDAÇÃO

Há realmente motivo para considerar agosto o mês do cachorro louco?

Mês do desgosto, do cachorro louco, das bruxas soltas... Uma série de acontecimentos excepcionais ocorridos em agosto consolidaram no imaginário coletivo de que é preciso ter cuidado durante esta parte do ano. Mas há realmente motivo para isso?

 

O oitavo mês do calendário gregoriano, agosto é chamado assim em homenagem ao imperador romano César Augusto, que, com inveja de Júlio César (que dava o nome ao mês de julho), queria um mês com 31 dias para chamar de seu.

 

Doutor em História, o professor da UniSantos César Agenor Fernandes da Silva explica que não acontecem mais fatos trágicos em agosto, em comparação aos demais meses do ano, como sugere a crendice popular. “Os fatos históricos marcantes estão distribuídos ao longo do ano”, esclarece. “Se formos pesquisar mês a mês, encontraremos episódios marcantes em julho, setembro, outubro...”, completa.

 

Ao longo da história, foi se construindo a ideia de que é um mês capaz de causar mais arrepios do que os demais. Algumas coincidências colaboraram: é em agosto que a maioria das cadelas fica no cio, deixando os machos alucinados por uma relação sexual e aumentando a briga entre si, na disputa pela fêmea. E, nestes conflitos, o vírus da hidrofobia (raiva) se propagava com mais facilidade. Daí a expressão “mês do cachorro louco”. Não por acaso, a campanha de vacinação anti-rábica começa em... agosto.

 

Já a crença de que é um “mês de desgosto” vem de terras portuguesas, da época das grandes navegações e deriva da expressão “casar em agosto traz desgosto”. As caravelas partiam para explorar novas terras nesta época do ano e então se dizia que a noiva que se casasse neste mês não faria lua-de-mel, pois o noivo partiria, com o risco de morrer e deixar a mulher viúva sem a noite de núpcias. 

 

Fatos impactantes ocorrem em qualquer mês

O astrólogo George Ferreira Jorge, da Escola Santista de Astrologia, revela que ainda no século I os romanos acreditavam que agosto era um mês de maus presságios por crerem que um dragão transitava pelo céu à noite: na verdade, era a constelação de Leão, mais visível nesta época do ano. 

 

“Em agosto, estamos sob a influência do signo de Leão e Virgem e a representação é de que o Sol está no seu signo de regência, podendo, sim, manifestar acontecimentos mais sérios, mas também exaltar talentos e muita criatividade. Não podemos levar em consideração somente isso, pois existem muitos fatos em outros meses que são até piores”, explica.

 

Ele esclarece que é possível ocorrer fatos impactantes em qualquer mês, de acordo com o signo da pessoa. “Por exemplo, as pessoas de Capricórnio, Câncer, Áries e Libra do primeiro e segundo decanato estão atravessando uma fase de muita pressão e transformações pessoais e não nasceram em agosto. As de Touro, Leão e Aquário do primeiro decanato estão numa etapa de desapego sem aviso prévio”, explica.

 

George Ferreira destaca que haverá um eclipse solar no dia 11, no grau 18 do signo de Leão. “Desde a antiguidade, os eclipses eram vistos como prenúncios de catástrofes. Eles afetam o campo eletromagnético da Terra e, por isso, nas regiões geográficas que ocorrem desenrolam alguns problemas. Lembre o que ocorreu no ano passado em Miami, logo depois do Eclipse ter acontecido por lá. O efeito de um Eclipse termina quando outro acontece. Podem ocorrer catástrofes naturais como terremotos, erupções vulcânicas e também crises maiores em governos”.

 

Segundo ele, um eclipse tem efeitos distintos, de acordo com o signo da pessoa. “Tanto pode acentuar crises como também libertar de assuntos do passado. O astro Júpiter estará com aspectos desafiadores com esse Eclipse, o que significa que devemos ser moderados e buscarmos o equilíbrio nos próximos meses, pois a tendência será os excessos, o descomedimento nas palavras, nas negociações e até nos gastos, derivando em problemas judiciais sérios. Multas, taxas, erros, perda de foco”.

 

Superstição

Doutora em Psicologia Social, Gisela Monteira explica que a crença de que agosto é um mês nebuloso está escorada na superstição. “É uma relação de causa e efeito sem lógica nenhuma. Trevo de quatro folhas, pata de coelho, evitar gato preto... É usada para justificar coisas absolutamente injustificáveis. Mas se tudo fosse absolutamente racional e linear, a vida não ia ter graça“, afirma. 

 

“A superstição desconsidera, de fato, estatísticas ou a história, é uma fé em algo que não se pode provar. Se esta fé for intensa, torna-se uma verdade para quem a tem e pode nortear grande parte do comportamento de uma pessoa. Se o resultado é bom para ela, confirma a crença. Se não, pode-se argumentar que o comportamento supersticioso não foi devidamente feito, por isso o fracasso”, argumenta.

 

Segundo ela, a superstição é uma forma de explicar e entender o inexplicável e incompreensível. Por exemplo: o ataque ocorrido em 11 de setembro vitimou pessoas que estavam no World Trade Center pela primeira vez e outras que trabalhavam lá não estavam na hora do evento porque se atrasaram. Como explicar a morte ou o salvamento inesperado dessas pessoas? Fé, carma, destino ou simplesmente acaso?

 

Somos muito pouco tolerantes a aceitar que nossas vidas estão na mão do acaso. Encontra-se, então, explicações sem nenhuma lógica para suportar essa angústia. A angústia de não saber é das mais intoleráveis. As religiões, crenças e terapias alternativas sem comprovação científica entram nesse espaço”, completa.

 

A psicóloga acredita que a fé e a superstição ajudam quando são praticadas como forma de apoio a um comportamento. “Não adianta acender vela ou carregar santinho no bolso para passar num concurso se você não estudar intensamente. A superstição excessiva aprisiona o indivíduo num mundo mágico, retirando-o da realidade e de suas dificuldades”, finaliza.

 

Fatos marcantes em agosto

480 a.c. - Comandados pelo rei Leonidas, 300 guerreiros espartanos tentaram defender o desfiladeiro das Termópilas do exército Persa de Xerxes.. Iniciada dia 11, a batalha durou cinco dias. Todos os espartanos foram mortos. O episódio é retratado no filme “300”, que tem Gerard Butler e Rodrigo Santoro no elenco.

 

1305 - No dia 24 de agosto, William Wallace é enforcado, afogado e esquartejado em, Londres (Inglaterra). Considerado herói nacional na Escócia, teve a vida retratada no filme “Coração Valente”, com Mel Gibson.

 

1890 - No dia 6, em Nova York, ocorre a primeira execução numa cadeira elétrica.

 

1909 - No dia 15, Euclides da Cunha morre em duelo no Rio de Janeiro com o cadete Dilermando de Assis, que mantinha um caso amoroso com a mulher do escritor, enquanto ele viajava para Canudos.

 

1914 - No dia 1º, a Alemanha declara guerra à Rússia e, no dia 3, à França. No dia 4, Grã-Bretanha entra no conflito. No dia 6, Áustria e Hungria declaram guerra à Rússia. Dia 8, a Rússia ao Japão. No dia 12, o Japão à Alemanha. O conflito torna-se mundial, no qual morreram 20 milhões de pessoas.

 

1921 - No dia 2, Enrico Caruso, um dos melhores intérpretes de ópera de todos os tempos, morre em Nápoles, sua cidade natal.

 

1934 - No dia 2, Adolf Hitler assume o poder na Alemanha, fundindo as funções de presidente e chanceler e passando a se autointitular Führer (Líder). Aprovada pelo parlamento, a medida foi referendada em plebiscito por 89,9% dos eleitores.

 

1945 - No dia 6, os Estados Unidos destroem a cidade de Hiroshima (Japão) com uma bomba atômica; e Nagasaki, no dia 9.

 

1954 - No dia 24, o presidente Getúlio Vargas comete suicídio com um tiro no coração.

 

1955 - No dia 5, morre a cantora Carmem Miranda, que difundiu o Brasil no exterior.

 

1961- No dia 13, começa a ser construído o Muro de Berlim, que durante 28 anos dividiu a cidade em duas – uma comunista e outra capitalista.

 

1961- No dia 21, Jânio Quadros renuncia à Presidência do Brasil.

 

1962 - No dia 4, Nelson Mandela é preso, por conta de sua luta contra o Apartheid imposto pelo governo da África do Sul, de minoria branca. Foi solto 28 anos depois, e se elegeu presidente, em 1994, com 62% dos votos.

 

1968 - Em 20 de agosto, os tanques da União Soviética ocupam Praga, capital da então Tchecoslováquia (atual República Tcheca), acabando com a chamada Primavera de Praga — movimento que almejava acabar com o regime comunista.

 

1969 - No dia 15, começa o Festival de Woodstock (EUA), evento-símbolo da cultura hippie, que durante três dias reúne 24 bandas musicais e mais de 300 mil espectadores.

 

1974 - No dia 9 de agosto, o presidente dos Estados Unidos Richard Nixon renuncia, em consequência do escândalo de Watergate.

 

1976 - No dia 22, o ex-presidente Juscelino Kubitscheck morre em um acidente de carro na Via Dutra. 

 

1977- No dia 16, aos 42 anos, o cantor Elvis Presley morre. 

 

1981 – No dia 22, morre Glauber Rocha, um dos principais cineastas brasileiros. 

 

1989 - No dia 21, morre o cantor Raul Seixas.

 

1991 - No dia 19, comunistas “linha dura” tentam dar um golpe de estado e retirar Mikhail Gorbachev do comando da União Soviética, por conta da abertura do regime. 

 

1992 - No dia 25 de agosto, milhões de pessoas saem às ruas de cidades de todo o país, exigindo o impeachment do presidente Fernando Collor, envolvido um esquema de corrupção orquestrado por Paulo César Farias.

 

1997 - No dia 31, a Princesa Diana, morre em Paris, em um acidente automobilístico.

 

2014 - No dia 13, o candidato a presidente Eduardo Campos morre na queda de um avião, em Santos.

 

2016 - No dia 31 de agosto, o Senado confirma o impeachment da presidente Dilma Rousseff: cassa seu mandato mas lhe preserva os direitos políticos. 


Leia também