Colunistas | 15/09/2018

Elegantes Crémant de Bourgogne

Enoleitores,

A Borgonha faz excelentes espumantes ,mas não podem levar o nome de champagne, por não pertencer àquela AOC, por isso lá chama-se Crémant , e há centenas deles , mas para o meu paladar nenhum que conheci se compara aos produzidos na Maison Parigot et Richard , onde todo o cuidado e profissionalismo são a preocupação da casa.


Localizada na aldeia de Savigny-lès-Beaune , pertencente a Côte de Beaune , e sua produção já difere desde os vinhedos , pois as uvas são cultivadas e colhidas em terroirs nobres da Côte de Beaune e Haute Côte de Beaune e a casta pinot noir vem de áreas da Côte de Nuits, aliadas ao cuidado no processo de vinificação , totalmente artesanal . Emprega-se o processo de vinificação de vinhos tranquilos aonde cada tipo de uva é vinificada separadamente , e depois seguem pelo método tradicional (champenoise)de elaborar o champagne .


Nesta Casa o desafio é fazer com que o espumante tenha sempre o mesmo sabor , não se preocupam com a safra e suas peculiaridades, como acontece no vinho tranquilo.


A empresa foi fundada em 1917, por Emile Parigot, que se especializou na produção de Crémant , e já encontra-se sob direção da quinta geração , atualmente são dois irmãos que cuidam e um deles é casado com Carolina Licati , uma brasileira que nos acolheu com toda a atenção e profissionalismo , e nos presenteou com uma super aula sobre todo o processo de produção destes espumantes . Entendemos o porque na realidade , estes são um néctar para os apaixonados por vinhos!


Carolina nos apresentou toda a casa explicando- em português - o que acontece em cada máquina e ambiente , tornando nossa visita indescritível . O maquinário moderno e o ambiente limpíssimo, nos deixando uma ótima impressão .


Segundo nossa anfitriã a colheita acontece por volta da terceira semana de setembro, portanto no final de dezembro ou no início de janeiro os vinhos já estão prontos, e aí o maior desafio é decidir o corte que expresse o mesmo padrão de sempre para reproduzirem em maior escala .


De acordo com a legislação local o crémant deve permanecer no mínimo 12 meses descansando num processo chamado “sur lies” , isto é, em contato com os sedimentos , mas na Parigot o mínimo deixado é 24 meses, depois 36, 48 até seis anos , dependendo do estilo que desejam elaborar.


O top é o Cuvée L’Or , um rosé com flocos de ouro 24 quilates , que além do charme dizem que atrai prosperidade , este ainda não posso comentar pois não degustei, mas trouxemos para o Brasil.


Todos os espumantes produzidos nesta Casa, em relação à taxa de açúcar , são brut ou zero dosage, não elabora nem o extra brut ou o demi-sec.


Agora a melhor parte da visita , degustar os vinhos que acompanhamos os estágios de produção :
1- Crémant de Bourgogne Parigot Blanc Tradition Brut -
um espumante elaborado por um corte de chardonnay (40%), pinot noir (40%) e aligoté (20%), descansa por 24 meses em garrafa , apresentou- se na cor amarelo palha, reflexos dourados, perlagem super fina e persistente , leve cremosidade ; aromas de frutas secas como amêndoas, fermento de pão ; na boca , seco, fresco, elegante preenchimento na boca, equilibrado e boa estrutura , longevo deixando na boca um sabor de amêndoas .


2- Parigot Cuvée Prestige 2012 - este um vinho safrado, originado de uvas de vinhas velhas entre 60 e 80anos, revelou uma coloração amarelo dourado, brilhante , leve transparência ,perlagem sutil e persistente , coroa de cremosidade ; exalava frutas brancas e secas lembrando nozes e amêndoas, fermento de pão e após um tempo aberta e na taça evoluiu para aromas do lacto bacilo do queijo , lembrando o brie ; no paladar seco, acidez correta transmitindo frescor, elegantemente estruturado, longevo deixando no final de boca frutas secas.


3- Parigot Brut Rosé - elaborado a partir de maceração por 4 horas com as cascas da uva pinot noir , exibia uma cor rosa salmonado, perlagem fina e duradoura no centro da taça formando intensa cremosidade ao redor, brilhante ; no olfativo percebia- se toque mineral se sobrepondo às frutas vermelhas maduras, frutas secas, fermento de pão , no gustativo seco, fresco, corpo leve e estruturado , elegante , persistente deixando um sabor de fruta do bosque no final .


4- Bourgogne Rouge Mousseux - este Crémant , é um Ode ao pinot noir , se apresentava na cor vermelho rubi vivo granada , brilhante, coroa de cremosidade ; aromas de frutas vermelhas, fermento de pão , queijo ; no pálato seco, fresco, elegante , estruturado , equilibrado, longo deixando um frutado no sabor final . Para mim este não é um vinho para tomar sem gastronomia , ele deve combinar bem com churrasco , leitão e também com a nossa feijoada , que ainda vou experimentar !


Todos os vinhos degustados foram corretos e interessantes , porém o segundo foi o que mais me surpreendeu , revelando inclusive ser mais refinado que alguns champagnes . Esta Casa é representada aqui no Brasil pela importadora Mistral.

 

Enoabraços e uma ótima semana a todos!
 


Leia também

Colunistas | 08/09/2018
Colunistas | 25/08/2018