Colunistas/Em Off | 09/02/2019

Estado de saúde de Bolsonaro preocupa

Muitos políticos já não escondem a preocupação com o estado de saúde do presidente Jair Bolsonaro. Depois de 11 dias internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para uma cirurgia para retirada retomada das funções intestinais, o presidente foi diagnosticado com pneumonia e deverá ficar pelo menos mais uma semana internado.

 

Apesar de o presidente tentar passar otimismo – na sexta pela manhã ele postou nas redes sociais que “teve o prazer de voltar a comer” – o clima é de apreensão. O filho Eduardo postou nas redes sociais que a pneumonia bacteriana está sendo tratada e pode “evoluir para melhor ou pior”. No início da tarde de sexta-feira afirmou que o quadro de seu pai apresentou notória evolução e pediu: “sigamos nessa mobilização de fé”.

 

Imprevistos
O fato é que a cirurgia de Bolsonaro apresentou uma série de imprevistos e a situação do paciente inspira cuidados. Não há previsão de alta.

 

Depois de uma campanha eleitoral turbulenta, o novo governo segue paralisado à espera do presidente. Só Bolsonaro pode bater o martelo em questões essenciais para o país, como a reforma da Previdência, por exemplo.

 

Fantasma
Nos meios políticos, os imprevistos decorrentes da cirurgia a que Bolsonaro foi submetido fizeram reviver o fantasma de Tancredo Neves, o presidente que foi eleito pelo Congresso Nacional, mas que não chegou a tomar posse após passar por uma série de cirurgias.

 

A situação enfrentada por Bolsonaro é diferente, seu quadro é bem melhor que o apresentado por Tancredo ao ser internado, mas as comparações são inevitáveis em um país marcado por traumas e tragédias.

 

Foto: Flávio Bolsonaro/divulgação/arquivo


Leia também