Cotidiano/Tecnologia | 11/06/2019

Programa seleciona 10 startups na Baixada Santista

O Sebrae-SP vai selecionar 10 startups da região da Baixada Santista para participar do Startup SP, programa gratuito de desenvolvimento de startups digitais em estágio de validação do modelo de negócio. O programa tem duração de quatro meses e oferece workshops, acompanhamento do negócio, conexão com o ecossistema e mentoria com parceiros de mercado. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de junho pela internet.

 

O foco do programa, que já atendeu mais de 200 startups em dois anos, é selecionar startups inovadoras, com alto potencial de crescimento, que utilizem a tecnologia digital como ponto central do seu modelo de negócio e que já tenham realizado interações iniciais com seus clientes para validações da problemática e MVP (mínimo produto viável). Para participar do programa é necessário que a startup tenha uma equipe com no mínimo dois fundadores, sendo um deles obrigatoriamente da área tecnológica. 

 

De acordo com o gestor regional do Startup SP, Francisco Jose da Costa Junior, um dos diferenciais do programa é trabalhar com startups em estágio de validação ao contrário da maioria dos programas do mercado que buscam startups em fase de tração. “Ajudamos a startup a validar sua problemática ou sua solução. É uma fase de pré-aceleração, de preparação para os estágios futuros”. O programa é gratuito e não cobra participação na empresa.

 

Seleção
Todas as inscrições passarão por uma seleção inicial. Até 20 startups serão escolhidas para a banca de pitch e seleção final. Na ocasião, cada finalista terá direito a cinco minutos de apresentação, seguidos de até dez minutos para perguntas e esclarecimentos da banca. Os critérios de seleção incluem uma avaliação do empreendedor e da equipe, do potencial de mercado e da solução proposta. 


As capacitações e mentorias começam em agosto e seguem até novembro. Nesse período também será realizado o bootcamp, em São Paulo. “O evento vai reunir todos os participantes para uma imersão empreendedora com workshops, mentorias, bate-papo com investidores e conexão com o ecossistema“, explica Francisco.
 


Leia também