Colunistas/Digital Jazz | 29/06/2019

DVD Andrea Bocelli - "Love in Portofino"

Cássio Laranja é produtor musical e coordenador da rádio online Digital Jazz/Jornal da Orla

O cantor tenor italiano Andrea Bocelli lançou em 2013 pelo selo Universal Music, o belíssimo DVD (com 19 faixas) e também a versão CD (com 10 faixas), com um show intimista, gravado ao vivo em Portofino, uma vila histórica localizada à beira-mar na Riviera Italiana, sinônimo de elegância, beleza e muito romantismo. 

 

Na verdade, o lançamento oficial aconteceu curiosamente, apenas nas telas do cinema localizadas nas principais capitais do país e somente alguns meses depois ganhou o mercado na sua forma tradicional. 

 

A gravação foi feita numa noite de verão europeu, em 11 de agosto de 2012, no minúsculo vilarejo, que tem apenas 600 moradores fixos, incrustado em frente a uma pequena baía em forma de meia-lua, que regularmente recebe veleiros e iates e é loteada por muitas casas coloridas, todas muito grudadas umas nas outras. 

 

Portanto, o local escolhido para a gravação do show é absolutamente perfeito. O show tem na parte musical outro grande diferencial, pois o cantor selecionou algumas das mais belas canções de amor feitas em todo o mundo e se juntou novamente ao premiado pianista e produtor americano David Foster, que conduz a apresentação, além da participação de uma orquestra composta por mais de 40 músicos. 

 

Alguns convidados especiais merecem destaque: Chris Botti, Caroline Campbell, Veronica Berti, Helene Fischer e a sua antiga parceira, a cantora brasileira Sandy, que fez com Bocelli um dueto para homenagear Antonio Carlos Jobim. 

 

O repertório da apresentação é absolutamente romântico e destaco os temas “Il Nostro Incontro”, “Sensa Fine”, “Quizás, Quizás, Quizás”, “Perfidia”, “Champagne”, “Corcovado” e “Tristeza” (cantadas em português) e mais “La Vie Em Rose”, “Besame Mucho”, “Love Me Tender”, “When I Fall In Love” e a faixa título “Love IIn Portofino”. Ou seja, você vai poder ouvir a voz maravilhosa de Andrea Bocelli em diferentes idiomas, pois ele canta em italiano, inglês, francês, espanhol e português. 

 

Andrea Bocelli já havia lançado, no ano de 2006, outro DVD imperdível, chamado “Under The Desert Sky”, gravado ao ar livre no Lake Las Vegas Resort e que também trouxe outra bela interpretação de várias canções românticas. Considero o lançamento, que mencionei hoje na coluna e este outro, como duas preciosidades da obra musical deste festejado cantor tenor italiano. 

 

Um DVD para ser assistido obrigatoriamente ao lado de uma companhia especial, pois as doses de romantismo são intensas e muito marcantes.

 

 

Marcos Valle – “Jet - Samba”


Um dos shows mais marcantes e emocionantes a que assisti na minha vida foi em Búzios, na praça central da cidade, quando Marcos Valle estava lançando “Jet – Samba”, pelo selo Dubas Brasil (2005), um disco memorável da sua carreira.

 

Aquele show foi cercado de vários ingredientes especiais: fazia muitos anos que Marcos Valle não retornava a Búzios, cidade para ele muito especial e onde na juventude, ao lado do irmão e parceiro Paulo Sérgio, se hospedava com frequência para surfar e namorar. 

 

E também pelo show ter sido realizado num espaço público e democrático e ali um numeroso público formado por jovens, crianças e adultos puderam ter contato com a música inspirada e iluminada de Marcos Valle. 

 

Impossível não se emocionar.

 

Jet – Samba é um disco instrumental e que fez muito sucesso aqui no Brasil e também no exterior e que considero como um dos mais belos trabalhos desse fantástico músico que é Marcos Valle.

 

Ele fez uma releitura de temas mais antigos e apresenta temas inéditos ao lado de um time de músicos de primeira linha, como Alberto Continentino no contrabaixo, Renato Calmon na bateria, Armando Marçal na percussão, Jessé Sadoc no trompete e Flugelhorn, Renato Franco nos saxofones e flauta, Aldivas Ayres no trombone e Jacques Morelenbaum no cello.

 

O timbre inconfundível do seu piano Fender Rhodes contagia com deliciosos arranjos recheados de “grooves” e muito balanço.

 

Destaco as releituras de “Selva de Pedra” (que foi tema de novela) e “Bar Inglês” e mais “Adam's Hotel”, “Jet-Samba”, “Posto 9”, “Campina Grande” e “Brasil/México”, verdadeiras obras primas. Marcos Valle voou bem alto em “Jet-Samba”.

 

Considero um disco indispensável para você ter na sua coleção. Marcos Valle é um dos maiores nomes da nossa música e um artista muito querido e inspirado.

 

 

Leandro Braga Tio - “Fé Cega”


Para homenagear os 70 anos do cantor e compositor Milton Nascimento, o querido “Bituca”, o pianista arranjador e compositor Leandro Braga, um dos grandes discípulos do incrível pianista Luiz Eça, radicado na cidade do Rio de Janeiro desde o final da década de 80, nos presenteou com este belíssimo CD, o sétimo da sua carreira, lançado em 2013 pelo selo MP,B e produzido por Zé Nogueira.

 

Compôs suítes (composições instrumentais em vários movimentos) inspiradíssimas especialmente para o projeto, em reverência à sofisticação musical do homenageado. Curiosamente o repertório foi montado apenas pela memória do pianista, tendo como ponto de partida a música “Fé Cega, Faca Amolada”. São 13 músicas gravadas em suítes ou faixas isoladas, contando com 2 composições próprias e uma de Chico Buarque, o clássico “O Que Será”.

 

Participaram das gravações também os talentosos músicos Bruno Migliari, no contrabaixo, e Marco Lobo, na percussão, além do próprio Milton Nascimento, em “Beco do Mota” , a única faixa cantada do CD e que ele mesmo escolheu para interpretar.

 

A “Suíte 1” traz “Fé Cega, Faca Amolada”, “Maria Solidária”, “Noites do Sertão” e “Ponta de Areia” e é possível perceber uma forte ligação rítmica entre as faixas escolhidas.

 

Já a “Suíte 2” apresenta uma abertura e os temas “A Lua Girou”, “Encontros e Despedidas”, “Saudades dos Aviões da Pan Air”, “Cravo e Canela” e “Maria Maria”.

 

E a “Suíte 3” traz “Milagres dos Peixes” e “Nada Será Como Antes”.

 

O tema “Sonho de Juventude”, composição do pianista, encerra o CD de forma única e marcante, demonstrando, no seu estilo de tocar, uma aproximação espontânea entre o piano clássico e o popular.

 

Um disco absolutamente sentimental, apresentado por um dos grandes pianistas deste país, que habitualmente acompanha os maiores artistas da nossa MPB e que tem uma tocante afinidade com o genial Milton Nascimento.

 


 


Leia também

Colunistas | 03/08/2019
Colunistas | 13/07/2019