Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cultura/Música | 08/10/2019

Semana Gilberto Mendes homenageia a vida e obra do maestro santista

Entre os dias 13 e 19 de outubro, Santos reverencia a vida e a obra de um dos grandes nomes da música contemporânea, com a Semana Cultural Gilberto Mendes.  A 1ª edição do evento homenageará Eliane Ghighoneto Mendes, viúva do compositor, e contará com diversas atividades distribuídas em várias regiões da cidade (Zona Noroeste, Morros, Área Continental, Centro e Praias), descentralizando o acesso à cultura e promovendo a formação de público.


A Orquestra Sinfônica Municipal de Santos (OSMS) abre a programação neste domingo (13), às 19h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). Na segunda-feira (14), às 14h, acontece a apresentação ‘Obras de Gilberto Mendes arranjadas para quarteto de cordas’, interpretada pelo Quarteto Caiçara, no Centro de Comunitário (Cecom) do Morro Santa Maria (R Um, nº 70). 


Ainda no mesmo dia, a partir das 18h, a Estação Cidadania (Av. Ana Costa, 340, Campo Grande) receberá a exibição do documentário ‘90 anos, 90 vezes Gilberto Mendes’, dirigido pelo filho do homenageado, Carlos de Moura Ribeiro Mendes, e apresentação musical de Theo Cancello. Às 21h, o escritor Flávio Viegas Amoreira e o compositor Gil Nuno Vaz debatem ‘Mendes, música, literatura e cinema’, com mediação de Antonio Eduardo Santos.


No dia 15, às 15h, a Estação Cidadania volta a ser palco da programação, com o painel ‘Música Contemporânea Caiçara’, bate-papo conduzido pelo pesquisador e compositor Márcio Barreto. Já no dia 16, o Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico) recebe apresentação solo do violonista Yuri Cardoso, às 15h. Mais tarde, às 16h, ocorrerá o painel ‘A Voz e Vez’ com Silvia Berg, doutora e professora do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP. Na sequência, Silvia ministra uma Oficina de Canto Coral. 


No fim da tarde, às 18h, o músico Gustavo Fiel apresenta as ‘Obras para piano de Gilberto Mendes’. Às 19h será a vez do espetáculo ‘A Música Coral de Gilberto Mendes’, com o Coral Municipal de Santos, regido por Nailse Machado.


Para encerrar a programação do dia, às 20h, o Cine Arte Posto 4 (orla do Gonzaga, próximo ao Canal 3) tem sessão de ‘A Odisseia musical de Gilberto Mendes’, também dirigido por Carlos de Moura Ribeiro Mendes. Após a exibição, está programado um bate-papo sobre a produção. 


O Quarteto Caiçara volta a apresentar as ‘Obras de Gilberto Mendes arranjadas para Quarteto de Cordas’, na quinta-feira (17), no Cecom Caruara/Monte Cabrão (Rua Tamoio, 265, Caruara), em sessões às 10h e 15h. Às 20h, a Concha Acústica Vicente de Carvalho (orla do Gonzaga, ao lado do Canal 3) recebe ‘Dançando com Mendes’.


Localizado no Centro de Atividades Integradas (Cais) Milton Teixeira (Av. Rangel Pestana, 150, Vila Mathias), o Espaço Cultural Maestro Gilberto Mendes terá a apresentação ‘Vida e obra de Gilberto Mendes’, com a Academia Vicentina de Letras, Artes e Ofícios, às 15h, e da Camerata Jovem, regida por Rômulo Moreira, às 16h. 


A noite segue com a apresentação das ‘Obras de Gilberto Mendes para Coral’ com o Madrigal Ars Viva na Paróquia Anglicana (Praça Washington, 92, José Menino), às 20h. 


No sábado (19), às 16h30, na Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu Gusmão, 15, Boqueirão) Flávio Viegas Amoreira apresenta o Sarau Gilberto Mendes. Em seguida, às 17h30, o público conferirá as obras de Gilberto Mendes, Almeida Prado, Villa-Lobos e Debussy em ‘Impressões de um impressionismo’. Os músicos José Simonian (flauta), Antonio Eduardo (piano) e Caio Simonian (bateria) apresentam ‘Re-criando nas ondas mares do sul’, às 18h30.


O Teatro Guarany encerra a Semana, com a apresentação de ‘Descontruindo Mendes’, às 21h, espetáculo que traz Márcio Barreto, Percutindo Mundos, Livio Tragtenberg e Rubens Ricciardi.

 

Sobre o homenageado
Gilberto Mendes nasceu em 13 de outubro de 1922 e morreu em 1º de janeiro de 2016. Maestro, professor da Universidade de São Paulo (USP), escritor e articulista – colaborou com jornais como A Tribuna e O Estado de São Paulo –, ele criou em 1962 o Festival Música Nova, realizado em Santos até 2010. 


Durante este período, a Cidade recebeu inúmeras personalidades da música de vanguarda mundial. Escreveu, ainda, três livros fundamentais: ‘Uma Odisseia Musical’ (1994), ‘Viver Sua Música – Com Stravinsky em Meus Ouvidos’ (2008) e o romance ‘Danielle em Surdina, Langsan’ (2013).


Considerado um revolucionário, Gilberto Mendes expandiu os horizontes da música contemporânea, também chamada de Música Nova. 


Leia também