Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Vida em Dia | 26/10/2019

Cuidado com a mistura de remédios!

Jornalista

Você sabia que um medicamento pode potencializar ou mesmo tirar o efeito de outro? Por mais que seja algo que você está acostumado a tomar sempre, é preciso cuidado com a interação de outras drogas para tratamentos paralelos. A farmacêutica Rosângela Greghi ressalta que um dos papéis fundamentais do farmacêutico é fazer a análise das prescrições, seja na farmácia, hospitais ou em consultórios e clínicas, contribuindo de forma decisiva para a redução de erros de medicação, principalmente relacionados às interações medicamentosas e efeitos adversos. “Ao percebermos qualquer interação relevante, orientamos que o paciente converse com o médico para realizar a troca ou, pelo menos, fazer ajustes nos horários dos remédios”. 

 

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), as interações medicamentosas podem ser de medicamento com medicamento, medicamento com alimento, medicamento com álcool e medicamento com exames laboratoriais. Essas misturas também incluem produtos fitoterápicos, chás e ervas medicinais.

 

A seguir, veja sobre alguns exemplos interação de substâncias que podem levar a resultados nada bons! 

 

•    Ácido acetilsalicílico (AAS) com captopril – O ácido acetilsalicílico pode diminuir a ação anti-hipertensiva do captopril.
•    Antiácidos com anti-inflamatórios - Os medicamentos antiácidos podem diminuir a absorção dos anti-inflamatórios, reduzindo o seu efeito terapêutico.
•    Bebidas alcoólicas com antidepressivos e ansiolíticos – O álcool potencializa a ação depressora do sistema nervoso central e o uso concomitante com antidepressivos ou ansiolíticos pode causar até a morte por falência cardiovascular, depressão respiratória ou grave hipotermia.
•    Omeprazol, varfarina e clopidogrel – O omeprazol pode aumentar a ação da varfarina (anticoagulante) e diminuir a ação do clopidogrel (medicamento que previne infarto e AVC).
•    Antidepressivos que agem inibindo a enzima monoamina oxidase (MAO) com a tiramina – Os inibidores da monoamina oxidase associada à tiramina pode promover crises hipertensivas e hemorragia intracraniana. Queijo, vinho e cerveja são os principais responsáveis por essa interação, já que possuem tiramina.
•    Leite com tetraciclina – O leite promove a excreção da tetraciclina, fazendo com que o medicamento não faça efeito.
•    Antibióticos com antiácidos – O antiácido diminui o efeito do antibiótico.
•    Antibiótico com espinheira santa (fitoterápico) – a espinheira santa faz com que haja menor absorção do antibiótico.
•    Alimentos com antibióticos (principalmente penicilina e eritromicina) – Após as refeições, o estômago produz maior quantidade de ácido, diminuindo o pH. Isso interfere na absorção do medicamento, fazendo com que não seja absorvida toda a quantidade necessária.
•    Antibióticos com vitamina C - Os antibióticos não devem ser misturados com vitamina C ou qualquer substância cítrica, pois ela inibe a sua ação.
•    Anticoagulantes orais com anticoncepcionais orais – Pode ocorrer a diminuição dos efeitos dos anticoagulantes quando usados com esse meio contraceptivo.
•    Anticoncepcionais com antibiótico (rifampicina) – O antibiótico aumenta o metabolismo do contraceptivo, o que faz com que ele seja eliminado mais rápido do organismo e não produza seu efeito total.

 

*Na presença de quaisquer sintomas apresentados acima, é imprescindível que consulte seu médico.
 


Leia também

Colunistas | 11/01/2020
Colunistas | 11/01/2020
Colunistas | 11/01/2020