Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Fronteiras da Ciência | 09/11/2019

A felicidade começando na escola

Jadir Albino é apresentador do programa "Fronteiras da Ciência", exibido aos domingos, às 19h, na Santa Cecília TV, com reapresentação aos sábados, às 21h.

Você pensou alguma vez na possibilidade do estudo e a busca da felicidade se tornarem matéria escolar?

 

E se essa matéria valesse mais do que as notas das demais do currículo escolar?

 

Pois isso é realidade em instituições de ensino na Holanda. E deverá se concretizar em um colégio na Índia.

 

A ideia é que os estudantes utilizem espaços de meditação repletos de árvores, um laboratório e cozinhas.

 

Salas de aula? Nenhuma. Preparação para provas? Pode esquecer. A escola primária Riverbend School quer ensinar felicidade antes das disciplinas tradicionais.

 

Os fundadores dessa escola, atualmente em construção, vêm do universo do empreendedorismo, e não da educação.

 

Para eles, essa é a oportunidade de abordar o mundo da aprendizagem de uma maneira radicalmente diferente.

 

O campus imita uma vila. Em vez de uma praça central, um espaço comum.

 

Eles acreditam que a felicidade vem das relações, em primeiro lugar.

 

Ao invés de prédios comerciais, construções acadêmicas.

 

Escrituras hindus serão utilizadas para ensinar os alunos a viverem uma vida mais feliz e plena.

 

Segundo o cofundador, a ideia é subverter um conceito ocidental: o de que o ambiente controla a felicidade e, por causa disso, é preciso tomar conta desse espaço.

 

Ao contrário de seguir uma grade específica, os estudantes decidirão o que querem aprender.

 

E farão isso através de experiências próprias, seja em um seminário de literatura indiana, meditação ou ajudando a desenvolver um software com colegas, em um laboratório específico para essa função.

 

A escola deve ser concluída em 2020. O campus também incluirá um instituto de pesquisas para estudar a efetividade das técnicas ali aplicadas.

 

[com base em notícia publicada no site www.sonoticiaboa.com.br, em Allan Kardec e na Redação do Momento Espírita]

 

A humanidade tem realizado, até o presente, incontestáveis progressos. Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material.

 

Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral.

 

Não poderiam consegui-lo nem com as suas crenças, nem com as suas instituições antiquadas, restos do passado, boas para certa época, suficientes para um estado transitório, mas que, havendo dado tudo o que comportavam, seriam hoje um entrave.

 

Já não é somente de desenvolver a inteligência o de que os homens necessitam, mas de elevar o sentimento e, para isso, faz-se preciso destruir tudo o que superexcite neles o egoísmo e o orgulho. 

 

Tal o período em que doravante vão entrar e que marcará uma das fases principais da vida da Humanidade.

 

Essa fase, que neste momento se elabora, é o complemento indispensável do estado precedente, como a idade madura o é da juventude. 

 

Essa fase foi predita, há muito tempo e aguardada por muitos.

 

Pouco a pouco, ela vai se sedimentando, se concretizando, ora aqui, ora acolá. Isso nos diz que são chegados os tempos determinados pelo Grande Arquiteto do Universo.

 

Tempos marcados por revoluções de ordem moral, pelo aparecimento de instituições que se preocupam mais com o íntimo do que com a exterioridade, pura e simples.

 

Preparemo-nos para a boa recepção desses tempos. E façamos a nossa parte para que se acelere a chegada desses melhores dias. Rumo a Felicidade.

 

PAZ, SAÚDE E PROSPERIDADE


Leia também

Colunistas | 16/11/2019
Colunistas | 02/11/2019
Colunistas | 26/10/2019