Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Porto | 01/02/2020

Um Porto com muita história: de 1994 a 2020

MARCO SANTANA - DA REDAÇÃO

Confira o que aconteceu no Porto de Santos de 1994 a 2020:

 

1994
Lançamento do Programa de Arrendamentos e Parcerias do Porto de Santos (Proaps), que viabilização concessões de áreas à iniciativa privada. Estima-se que entre 1995 e 2019, as  arrendatárias realizaram investimentos de em torno R$ 3 bilhões.

 

1996

Foto Arquivo/Jornal da Orla


Obra dos artistas plásticos Vito D´Alessio e Juvenal Irena, o Monumento ao Trabalhador Portuário foi inaugurado no dia 6 de setembro, onde havia a Praça Praça Silvério de Souza, próximo ao Armazém 4 esterno da Codesp. Por conta de concessões de terminais a empresas privadas e da construção da avenida Perimetral, a escultura de 12 metros de altura e duas toneladas foi transferida de local várias vezes (chegou a ficar espremida entre dois armazéns) até ser colocada no local onde hoje se encontra — numa curva da avenida Perimetral próximo à rua Xavier Pinheiro.

 

1997
Codesp deixa de operar cargas, limitando-se a ser autoridade portuária.

 

2000

Foto Divulgação/Codesp


Quando a Codesp deixou  o controle da malha ferroviária do porto para a iniciativa privada, em 28 de junho, menos de um milhão de toneladas de cargas eram transportados por trilhos; em 2016, este valor saltou para 30 milhões — 26,3% do volume total de mercadorias que chegam ou saem do complexo santista.

 

2007

Iniciadas as obras do primeiro trecho da Avenida Perimetral, com a construção de viadutos no trecho Paquetá-Outeirinhos.

 

2008
No dia 9 de fevereiro, o terminal de passageiros recebeu o maior número de navios num só dia: foram nove navios, que transportaram 37 mil passageiros. A temporada que teve a maior quantidade de passageiros foi a de 2010/2011: entre 8 de outubro e 20 de maio foram cerca de 1,2 milhão de pessoas, distribuídas em 22 navios, que fizeram 310 escalas.

 

2013
Em 5 de maio, é inaugurado o primeiro trecho da avenida Perimetral no lado de Guarujá, um viaduto sobre a linha férrea. A obra acabou com o cruzamento onde as carretas precisam ficar paradas esperando a passagem dos trens.

 

Promulgada em 5 de junho de 2013 pela então presidente Dilma Rousseff, a Nova Lei dos Portos (12.815/2013) altera o marco regulatório do setor portuário, esvaziando ainda mais a autonomia da Codesp e centralizando no governo federal as decisões mais importantes, como fiscalização de contratos de arrendamento, obras e operações portuárias. 

 

2017 


Em 14 de maio, o porto recebeu o maior navio de sua história: o Hyundai Loyalty, com 340 metros de comprimento, 45,6 metros de largura, 14,5 metros de calado e capacidade para 8.600 TEUs. 

 

2017 

Foto Divulgacao/ZIM

 

Na manhã de 28 de junho de 2017, atracou no terminal da Embraport o Cape Sounio, o navio com maior capacidade de carregamento que já passou pelo complexo santista: 11 mil TEUs. Mas ele fez apenas previstos 125 movimentos de descarga e 1.975 de embarque, totalizando 2.100 TEUs.

 

2018

Foto Sérgio Furtado/Divulgação

 

No dia 19 de agosto, em operação no navio MSC Lorettha, foi batido o recorde de movimentação de contêineres: 243,58 MpH (Movimentos por Hora). Foram 1.632 contêineres em 6 horas e 42 minutos, o que equivalente a quatro contêineres por minuto.

 

2019

Foto Divulgação/Codesp

 

No dia 24 de novembro, atracou no Terminal Marítimo do Guarujá (Termag) o Panamax Breeze, trazendo a maior carga transportada um único navio: 72 mil toneladas de sulfato de amônio.

 

Foto Sérgio Furtado/Divulgação

 

O Porto de Santos registrou a maior movimentação de sua história: 134,010 milhões de toneladas de carga geral e 4,165.248 TEU (medida padrão para contêineres de 20 pés). O número de navios também foi recorde: 4.842.

 

2020

No dia 29 de janeiro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, assina contrato de concessão, por 25 anos, de mais uma área no porto, que rendeu à União R$ 112,5 milhões em outorga. A empresa também vai investir R$ 219,milhões em ampliações e melhorias.

 

Foto Divulgação/Tecom
 


Leia também