Especiais | 27/12/2009

Passeio pelas riquezas do mar

Mariana Benjamim/Foto: Leandro Amaral

Quando se fala no Museu de Pesca de Santos, a primeira coisa que vem à cabeça é o esqueleto de 23 metros da Baleia Fin, certo? Ela foi encontrada encalhada em Peruíbe e faz parte do acervo desde 1942. Mas a verdade é que o Museu de Pesca tem muito mais para oferecer. De tubarões taxidermizados até histórias de terror.



























Quando se fala no Museu de Pesca de Santos, a primeira coisa que vem à cabeça é o esqueleto de 23 metros da Baleia Fin, certo? Ela foi encontrada encalhada em Peruíbe e faz parte do acervo desde 1942. Mas a verdade é que o Museu de Pesca tem muito mais para oferecer. De tubarões taxidermizados até histórias de terror.

Mantido pelo Instituto de Pesca, órgão ligado ao Governo do Estado, o museu está, atualmente, sem monitores para auxiliar nas visitações. Mas existem banners com explicações sobre parte das atrações.

A sala dos tubarões possui espécies de Anequim, Martelo, Cinzento entre outros. O exemplar de mongona, por exemplo, é o segundo encontrado no mundo todo. A arraia presa no teto desta sala pesava, quando viva, cerca de 600kg. Com o trabalho de taxidermia, feito no próprio museu, ela agora pesa 60 kg. Essa arraia foi encontrada morta em Praia Grande, mas é comum vê-la em determinadas épocas na Laje de Santos.

A Ala Lúdica Petrobrás é voltada para o divertimento das crianças que visitam o local. Nela, estão representados três ecossistemas diferentes feitos de resina, o arenoso, o manguezal e o costão. Através desta ala, tem-se acesso à Sala do Capitão.

E é neste ponto que as histórias de terror começam. Segundo o diretor do Museu de Pesca, Oscar José Sallee Barreto, a lenda diz que é preciso enfrentar os desafios piratas para chegar até o quarto do capitão, onde está escondido o seu tesouro. Mas, as riquezas não estão ali dando sopa. Um gato é quem faz o trabalho de segurança do tesouro. É claro que tudo não passa de uma historinha para divertir as crianças, e o gato em questão é empalhado. Mas, segundo Barreto, a sala é a alegria da criançada.

O Museu de Pesca  está aberto à visitação de quarta-feira a domingo, das 11h às 19h. Os ingressos são R$ 1, para crianças maiores de 6 anos, e R$ 2, para adultos. Escolas que queiram agendar o passeio devem entrar em contato com cerca de um mês de antecedência e assim podem conseguir isenção de ingressos. Segundo o diretor do Museu, eles já receberam mais de 547 escolas só este ano.

Serviço:
Endereço: Avenida Bartolomeu de Gusmão, 192 - Ponta da Praia Santos - SP. Tel. 3261-5995.


Leia também