Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cultura/Música | 03/02/2020

Emoção marca o encerramento do 4º Bravo! Festival de Música Orquestral de Santos

Concurso Jovem Solista foi vencido pelo equatoriano Juan, de 19 anos

Foi em clima de emoção o concerto de gala de 45 alunos bolsistas que encerrou, na noite de sábado (1), no Teatro Municipal Brás Cubas, a 4ª edição do Bravo! Festival de Música Orquestral de Santos, promovido pela Secretaria de Cultura (Secult). Este ano, o evento homenageou o instrumentista, arranjador e compositor santista José Simonian.

 

Os jovens, entre 14 e 28 anos – residentes na Baixada Santista, na Grande São Paulo, em Poços de Caldas e em Rio Claro –, mostraram talento e o resultado de uma semana de estudos intensivos, que envolveram vivência orquestral, oficinas diárias de música de câmara, aulas de leitura dirigida e masterclasses com músicos renomados.

 

Pela primeira vez, o festival ultrapassou a fronteira e recebeu o jovem Juan Andres Lincango, de Quito (Equador).

 

Programa

O concerto foi aberto com Dança Húngara nº 5, de Joanes Brahms, sob regência de Rômulo Moreira, diretor artístico do festival. Na sequência, a orquestra acadêmica interpretou a abertura de Coriolano, de Beethoven, regida pelo maestro Marcos Martins Araújo.

 

Acompanhado de Daniel Simonian na guitarra e Ricardo Teixeira na bateria, José Simonian apresentou quatro peças de sua autoria: Em dezembro eu lembro, Funkeira Junina, Toada a gosto de lembrança e O bonde dos Meninos. E, ainda, Recado, parceria com Glorinha Veloso, e Escuridão, de José e Daniel Simonian, ambas na voz de Maria Clara Azevedo. A orquestra acadêmica interpretou depois a Suíte Criança, de autoria do músico homenageado nesta edição.

 

Premiação

Emoção maior foi a entrega de troféu aos vencedores do Concurso Jovem Solista, realizado à tarde, tendo como jurado o maestro Marcos Araújo. O primeiro lugar foi conquistado pelo bolsista equatoriano Juan Andres Lincango, de 19 anos, cabendo o segundo lugar a Bruno Robalo e, o terceiro a Ane Elise Brakeman.

 

O Concerto de Gala foi encerrado com a obra Finlândia Opus 25, do compositor Jean Sibelius, com regência de Marcos Araújo.

 

Aprovação

Para o equatoriano Juan Lincango, que viajou 6 mil quilômetros, valeu tanto a pena participar do festival que ele já tem duas certezas: “Vou voltar no próximo festival e quero estudar música no Brasil”, garantiu, animado por ter participado de todas as atividades. “Foi ótimo mesmo. Estudava de três a quatro horas por dia, fiz música de câmara, me dediquei muito para o concurso de solista e agora me sinto mais seguro.”

 

Murilo Matheus, de Mongaguá, e Otávio Monteiro, já participam há quatro e três anos, respectivamente, do Bravo! Com intenção de se profissionalizarem, eles não pretendem parar de participar do festival. Joelson Ferreira, de Cubatão, também está desde a primeira edição. “Percebo que estou evoluindo bastante, tanto na técnica como na sensibilidade”, afirmou o trompetista.

 

Foto Divulgação/PMS


Leia também