Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Opinião do Jornal | 21/03/2020

Uma oportunidade para o Brasil

A tragédia mundial provocada pelo novo coranavírus pode ser uma oportunidade para o Brasil sair dela melhor do que entrou, com um povo mais solidário e com uma grande redução das desigualdades sociais, uma chaga nacional de séculos. Trata-se de um momento de reflexão. De que adianta uma pessoa ter milhões de reais se é obrigada a ficar confinada em casa, em pânico com a possibilidade de ser contaminada por um vírus letal?


O momento é de união, de buscar soluções que atendam ao conjunto da sociedade. É preciso preservar vidas, em primeiro lugar, e depois trabalhar para reconstruir o país e recuperar a economia, que, a exemplo do resto do mundo, sofrerá grandes abalos. Nesse sentido, é evidente que o Brasil carece de uma grande liderança, capaz de apresentar ao país as melhores alternativas para superar o momento terrível, sem precedentes na história recente.


Se o presidente da República menosprezou o perigo do vírus que o colocou sua vida em risco e também a de seus seguidores, governadores e prefeitos adotaram duras e necessárias medidas para evitar a proliferação do Covid-19. Todos os brasileiros, independentemente de idade ou sexo, devem fazer a sua parte e seguir medidas recomendadas por especialistas, entre as quais a reclusão em seus domicílios até a tempestade passar. Não há outra opção.


É fato que o Brasil não vivenciou os horrores das duas grandes guerras, ao contrário de europeus e japoneses que tiveram cidades e vidas devastadas. A guerra atual contra um inimigo perigoso e invisível, é, portanto, um fato novo para nossa cultura. Temos de nos adaptar às novas circunstâncias. As tragédias provocadas pelo Covid-19 terão um custo altíssimo e doloroso, como toda guerra, mas também podem nos dar força para construir um país melhor.


Todos os brasileiros ficarão mais pobres, milhares perderão seus empregos, fábricas e lojas serão fechadas, as receitas dos governos – federal, estaduais e municipais – vão cair de forma brutal. Chegou a hora do bom senso. Adiar as eleições deste ano e realizar pleitos simultâneos para todos os cargos eletivos em 2022 – de vereador a presidente, por exemplo.


Não faz sentido realizar eleições a cada dois anos, com investimento de bilhões de reais, para que políticos façam trampolim para outros cargos – de vereador para deputado, de deputado para prefeito. É preciso também acabar de vez com as mordomias e altos salários nas esferas dos três poderes. Esses recursos, inclusive os do chamado Fundo Partidário, devem ser canalizados para a Saúde e geração de empregos.


Se o povo brasileiro souber tirar lições da guerra contra o vírus, como europeus tiraram das duas grandes guerras, poderemos, enfim, começar a construir uma grande Nação.
 


Leia também

Colunistas | 25/04/2020
Colunistas | 04/04/2020
Colunistas | 27/03/2020