Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Cinema | 19/06/2020

Dica da semana: Prenda-me se for capaz

Diego cursou Crítica Cinematográfica na Academia Internacional de Cinema, em São Paulo.

Um maravilhoso e delicioso filme de puro entretenimento. Assista ao vídeo.

Frank Abagnale Jr. começou a falsificar cheques com apenas 15 anos de idade. Aos 21, já tinha assumido 8 identidades, causando um prejuízo de mais de R$2,5MM em 26 países e, quando preso por seus crimes, cumpriu uma pena de aproximadamente 13 anos. Apenas foi solto com a condição de cooperar com as autoridades para encontrar fraudes monetárias e depois arranjou emprego como consultor em bancos. Tempos depois, fundou a empresa Abagnale & Associates, onde realiza palestras e aulas advertindo outras empresas sobre o mundo das fraudes. Abagnale hoje é multimilionário através desta empresa de consultoria situada nos Estados Unidos. Essa é uma história verídica e ninguém melhor para dar um tom fantasioso, divertido e entregar um belo estudo de personagem do que Steven Spielberg.


Frank Abagnale Jr. (Leonardo DiCaprio) já foi médico, advogado e co-piloto, tudo isso com apenas 18 anos. Mestre na arte do disfarce, ele aproveita suas habilidades para viver a vida como quer e praticar golpes milionários, que fazem com que se torne o ladrão de banco mais bem-sucedido da história dos Estados Unidos com apenas 17 anos. Mas em seu encalço está o agente do FBI Carl Hanratty (Tom Hanks), que usa todos os meios que tem ao seu dispor para encontrá-lo e capturá-lo. Spielberg é provavelmente o diretor mais popular de todos os tempos. Dono de uma filmografia invejável e com uma enorme versatilidade (ele dirigiu no mesmo ano Jurassic Park e A Lista de Schindler, como exemplo) o diretor se mostra incrivelmente contido em seus já conhecidos movimentos de câmera e enquadramentos, o que mostra uma grande maturidade do diretor que percebe que essa discrição é a melhor forma para contar essa história. Trazendo uma energia, empolgação e entretenimento ao longa, que já é marca registrada em todas suas obras, Spielberg traz um olhar tanto cômico quanto trágico e apesar de ter quase duas horas e meia de duração,o diretor é ágil na medida certa ao se dedicar a cada momento e etapa da vida de seu protagonista. 


Ainda que tenha algumas falhas e não consiga dosar de modo equilibrado os inúmeros gêneros que tenta explorar, o roteiro é estruturado em três blocos, que marcam a ascensão, a crise e a queda de Abagnale nem sempre seguindo à risca os fatos verídicos da história, principalmente para abrir maiores brechas de identificação com o público. Outro tema presente na filmografia de Spielberg e que o roteiro também explora, é a crise de identidade e a relação entre pais e filhos, onde mesmo amando o pai, Frank precisa de alguém que o contenha e discipline, algo que encontra estranhamente no policial Hanratty, interpretado por Hanks. Durante toda a jornada, você vai se pegar torcendo pelo vigarista pelo fato do mesmo apresentar um bom coração, mas Spielberg acerta demais ao escalar Tom Hanks, transformando o agente do FBI em uma figura que também desperta a simpatia do público, mesmo sem o roteiro se aprofundar mais em sua vida pessoal. 


A reconstituição de época e o design de produção do filme é de encher os olhos, com os anos 60 explodindo na tela com todas as suas cores, cortes de cabelo, figurinos, carros aliado a competente trilha sonora do veterano John Williams (antigo colaborador do diretor), que introduz instrumentos como violino, violoncelo e até uma sutil flauta que é bastante agradável. 


Um dos melhores atores de sua geração, Leonardo DiCapriotraz todo chame e energia que o personagem exigia, com sua aparência jovial e inocente ao passo que Hanks brilha mais uma vez, mesmo com um papel secundário, construindo em seu personagem uma pessoa dedicada, carrancudo e cheio de princípios, onde não há ninguém melhor do que ele para fazer. 


Prenda-me se for Capaz é um maravilhoso e delicioso filme de puro entretenimento, daqueles que vai satisfazer todo o tipo de público, contando também com incríveis performances de todo o elenco e uma história cativante. Está longe de ser o melhor trabalho de Spielberg, mas é mais um grande acerto na carreira deste influente diretor que marcou gerações.


Curiosidades:  Prenda-me Se For Capaz foi oferecido e recusado pelos diretores Lasse Hallström, David Fincher, Milos Forman e Cameron Crowe.

 


 


Leia também

Colunistas | 01/08/2020
Colunistas | 25/07/2020