Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cultura/Música | 25/06/2020

Charlie Brown Jr faz live solidária neste sábado (27)

A música e a solidariedade - uma parceria que sempre dá bons frutos em momentos difíceis – vão se unir mais uma vez neste sábado (27), às 19h, com a transmissão da live da banda Charlie Brown Jr no Youtube


Durante o show, os internautas poderão fazer doações, escaneando com o celular o QR Code que dará acesso à página da campanha em prol do Instituto Arte no Dique e dos artistas e profissionais da cultura e do entretenimento de Santos. 


A live servirá também para homenagear os profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus e os 50 anos do cantor Chorão, falecido em 2013.


O evento virtual contará com a participação dos músicos Marcão Britto, André Pinguim e Heitor Gomes. Com formato inovador, em muitos momentos, Chorão vai aparecer no telão e sua voz gravada vai se unir ao som da banda tocando ao vivo. A live terá acessibilidade, com a participação de tradutores da Língua Brasileira de Sinais.


O show vai contar com vários sucessos: “Te Levar”, “Me Encontra”, “Ela Vai Voltar”, “Só Por Uma Noite”, “Dias de Luta, Dias de Glória”, “Zóio De Lula”, “Pontes Indestrutíveis”, “Vícios e Virtudes”, “Só Os Loucos Sabem”, “Céu Azul” e muito mais.


 
Apoio
O Instituto Arte no Dique desenvolve um trabalho sociocultural com a população do Dique da Vila Gilda, na Zona Noroeste, onde moram cerca de 26 mil pessoas. A entidade tem como proposta a realização de ações, oficinas e cursos profissionalizantes, regidas pelos princípios da inclusão social, pesquisa e valorização da cultura local.

 


Parte fundamental de um dos setores mais atingidos pelas medidas de distanciamento social causadas pela pandemia do novo coronavírus, centenas de profissionais da cultura e do entretenimento de Santos estão impedidos de exercer suas funções, o que vem trazendo dificuldades para muitas famílias. Músicos, artesãos, atores, técnicos de som, iluminadores e carregadores são apenas algumas de dezenas de funções afetadas.

 


“O setor cultural e do entretenimento depende fundamentalmente da presença do público. Com a pandemia, o segmento foi o primeiro a parar e, provavelmente, será o último a retornar. Nossa série de lives vai procurar dar apoio a centenas de famílias, neste momento bastante delicado”, comentou o secretário de Cultura, Rafael Leal.   


 


Leia também