Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Regional | 11/08/2020

Hospital de Campanha de Guarujá finaliza operação com 65% de altas

Foto: Divulgação/PMG

Equipamento teve 209 altas e funcionou por 90 dias.

O Hospital de Campanha de Guarujá teve sua operação finalizada na última semana. Nos 90 dias de funcionamento, foram prestados 320 atendimentos. Desse volume, 65,3% deles foram altas, ou seja, 209 pacientes liberados após concluírem o tratamento.

 

O local, para onde foram encaminhados os pacientes que necessitavam de cuidados mais aprofundados, registrou também 95 óbitos e outros 16 pacientes foram transferidos.

 

Construído dentro do hangar da Base Aérea de Santos, em Vicente de Carvalho, desde maio, o Hospital de Campanha disponibilizou atendimento exclusivo aos pacientes infectados pelo novo coronavírus na Cidade.

 

O equipamento ofertou 70 leitos, sendo 50 de enfermaria e outros 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Gerido pela Organização Social Aceni, o complexo era composto por duas tendas, somando três mil metros quadrados com mais de 260 profissionais de saúde.

 

De acordo com o secretário de saúde de Guarujá, o hospital de campanha cumpriu sua missão e foi uma importante arma de Guarujá no enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus.

 

Segundo ele, a ocupação dos leitos estava baixa nas últimas semanas, não ultrapassando os 30%. Somando isso à criação de 40 novos leitos nos últimos dias – 10 leitos de UTI no HSA e 30 na UPA Rodoviária, sendo 14 de enfermaria e 16 de suporte avançado – não foi necessário prorrogar seu funcionamento.

 

“Esses foram alguns elementos que não justificavam prorrogação contratual. Sem dúvida, o Hospital de Campanha foi um equipamento muito importante e que nos deu o suporte necessário na rede municipal, para que pudéssemos enfrentar a pandemia da covid-19 de maneira estruturada”, disse.

 

Agora, Guarujá conta com 10 leitos de UTI no Hospital Santo Amaro e outros 16 de suporte avançado (UTI) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Doutor Matheus Santamaria, a UPA Rodoviária. No total, são 53 leitos de UTI na Cidade.

 

Incorporados à rede municipal

No momento, a Secretaria de Saúde avalia as condições técnicas dos equipamentos e maquinários utilizados no Hospital de Campanha, o que inclui os respiradores.

 

A pasta faz ainda o levantamento de necessidades das unidades da rede municipal, para que posteriormente esses materiais sejam distribuídos. Os equipamentos ficarão à disposição no almoxarifado da Prefeitura para que sejam patrimoniados.

 

Última paciente a receber alta

A auxiliar de limpeza Helena Sabino Gonçalves foi a última paciente a receber alta do Hospital de Campanha, na semana passada. Ela ficou internada em leito de enfermaria, de 25 de julho a 6 de agosto. Helena, que não imaginava contrair o vírus completou 56 anos no dia 28 de julho, durante seu período de internação.

 

Hoje recuperada, a auxiliar inclusive já voltou a trabalhar. Longe da família e dos amigos, no dia do seu aniversário, Helena conta que chorava bastante. “Eu só pedia muita proteção a Deus, sabe?”, revelou. Mãe de três filhos, ela lembra que teve medo quando soube que iria para o Hospital de Campanha, mas, quando passou a ver o atendimento recebido, o medo foi embora.

 

“O pessoal foi muito bacana comigo. Toda a equipe bastante atenciosa, sempre dando força e cuidado de mim com atenção em todo o tempo que estive internada. Só posso dizer que fui muito bem tratada por lá”, contou a moradora do Pae Cará.  


Leia também