Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Local | 12/09/2020

Campanha busca viabilizar Museu Histórico de Santos

MARCO SANTANA - DA REDAÇÃO
Foto: Divulgação

Acervo terá uso de recursos como realidade virtual e inteligência artificial. 

Pioneira e protagonista em vários momentos da história brasileira, Santos não possui um museu com um acervo que apresente toda esta importância. E é justamente com o objetivo de preencher esta lacuna que o Instituto Histórico e Geográfico de Santos lançou esta semana uma campanha para viabilizar a instalação do Museu Histórico de Santos. 


“É um sonho antigo de todos nós, santistas”, explica o presidente da entidade, o jornalista e escritor Sérgio Williams. Segundo ele, a ideia é oferecer ao público não só documentos e peças antigas com valor histórico, mas também apresentações com modernos recursos tecnológicos. “Vamos fazer o visitante mergulhar num verdadeiro oceano de informações, sobre a memória de Santos e região, desde a época pré-histórica até os dias de hoje”, revela. Ele explica que o museu será dinâmico e interativo, com o uso de recursos como realidade virtual, realidade  aumentada e inteligência artificial.


Para viabilizar o projeto, foi lançada uma campanha de financiamento coletivo, no qual os colaboradores irão comprar peças de um imenso mosaico, de 30 metros de comprimento por 3 metros de altura, com 200 mil pastilhas, assinado pela artista plástica Luciana Futuro. A meta é inaugurar o painel em 7 de setembro de 2022, quando se celebrará os 200 anos da independência do Brasil.


A colaboração deve ser feita pela plataforma kickante (www.kickante.com.br, procurar museu histórico de santos).


Mas, para Williams, a grande estrela do projeto é a coleção "A história de Santos – Cartas colecionáveis”, baralhos temáticos com cartas ilustradas por personagens e fatos históricos. O primeiro mescla cartas de todos os baralhos, que serão divididos por épocas: períodos colonial, imperial, republicano (1889-1919), e os referentes às décadas de 1920/1930, 1940/1950, 1960/1970, 1980/1990 e 2000/2010.


Leia também