Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Local | 14/10/2020

Festival de Capoeira de Santos divulga a arte e a cultura da modalidade

Foto: Freepik

Atividades reúnem grandes nomes da Capoeira e podem ser acompanhadas pelo Facebook.

As medidas de distanciamento social desafiam a população, que se reinventa diariamente para continuar levando arte, cultura e educação ao público. Nesse cenário, o Festival de Capoeira de Santos chegará a sua sétima edição em 2020. A iniciativa já faz parte do calendário da cidade e envolve muitos munícipes em um movimento interdisciplinar nas áreas da educação, saúde, esporte, cultura, turismo e assistência social. Neste ano, o evento acontecerá de 29 de outubro a 7 de novembro, de maneira presencial e online, acatando as orientações da Organização Mundial de Saúde, do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura Municipal de Santos.

 

As atividades serão realizadas respeitando o distanciamento social em relação à pandemia do COVID-19, e otimizando a Capoeira como ferramenta de saúde. "Cerca de 90 % das aulas serão online, e o restante será presencial", explica Márcio Rodrigues dos Santos, o Mestre Márcio, coordenador do Festival.

 

A iniciativa pretende levar os ensinamentos da Capoeira para diversos setores da sociedade e diferentes faixas etárias, incluindo crianças, idosos e jovens em situação de vulnerabilidade social. O Festival contará ainda com Intérprete de Libras e atividades adaptadas para pessoas com deficiência.

 

A capoeira na cidade de Santos é reconhecida mundialmente e conta com capoeiristas em diversos países, divulgando a cultura nacional no exterior. "A Capoeira é uma importante expressão cultural brasileira. Cabe as nossas autoridades um maior reconhecimento e fomento a esta atividade. O ensino afro-brasileiro tem a obrigatoriedade de seu desenvolvimento conforme a Lei 10639/2003, mas poucas instituições de ensino realmente aplicam com eficiência esse conteúdo", diz Mestre Márcio.  

 

A capoeira surgiu no Brasil na época colonial, como uma arte marcial desenvolvida pelos escravos, e hoje é praticada em cerca de cento e vinte países, segundo a Confederação Brasileira de Capoeira (CBC). "A capoeira é a maior representante da Cultura Brasileira e é notória a sua importância para o desenvolvimento nacional, em diversas vertentes. Muitas escolas inserem esta prática com apresentações, oficinas ou curso extracurricular, mas poucas compreendem seu valor educacional e têm a ousadia de inseri-la como componente curricular, seja em Artes ou em Educação Física", lamenta Mestre Márcio.

 

Márcio Rodrigues dos Santos é professor e idealizador do projeto 'Capoeira Escola, Capoeira para Todos', mantido na cidade de Santos desde 1995. Em março, recebeu o prêmio 'Berimbau de Ouro', em Salvador, Bahia, selecionado entre os destaques da modalidade no Brasil e exterior.

 

"Entendemos que a capoeira deveria ser uma ferramenta mais frequente no ambiente escolar. Sou praticante há mais de vinte e cinco anos e percebo os benefícios do esporte. Um deles é a velocidade de reação, e ela pode ser treinável.  No projeto, trabalhamos a disciplina e o respeito durante as aulas. A ideia principal é realizar um trabalho interdisciplinar, contando um pouco da História do Brasil com atividades lúdicas", explica Mestre Márcio.

 

O Festival contará com a presença de grandes nomes da Capoeira do Brasil e do exterior. Dentre eles, Mestre Fábio Parada, precursor da Capoeira na Baixada Santista; Mestre Gladson, de São Paulo; Mestre Ferradura, do Rio de Janeiro; Mestre Jean Pangolin, de Salvador; e Contramestre Henrique Kohl "Tchê", de Pernambuco. O evento pretende divulgar a modalidade como um importante meio de inclusão social e cidadania. As atividades reúnem arte marcial, esporte, cultura popular e música, e podem ser acompanhadas pelo Facebook https://www.facebook.com/festivalcapoeirasantos/.  

.


Leia também