Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Geral | 19/11/2020

Condutores experientes se envolvem menos em acidentes fatais

Foto: Freepik

Risco de ocorrências é 2,4 vezes menor entre maiores de 50 anos.

Condutores mais velhos tendem a se envolver menos em acidentes fatais. Essa é a conclusão de levantamento realizado pelo Respeito à Vida, programa da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo coordenado pelo Detran.SP. Habilitados com mais de 50 anos de idade se envolvem 2,4 vezes menos em ocorrências que vitimam condutores na comparação com jovens entre 18 e 34 anos. A análise tem como base os novos números do Infosiga SP, que apontam ainda queda de 24% nas fatalidades de trânsito na Baixada Santista, em outubro.

 

“O comportamento humano é o principal fator de risco no trânsito. Pessoas mais experientes tendem a assumir menos riscos, e isso se reflete nas estatísticas de acidentes e de infrações. A prudência é um valor que precisa ser assimilado também pelos mais jovens, público que é alvo constante das nossas campanhas de conscientização”, afirma o presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto.

 

Das 25 milhões de habilitações do Estado, 28% são condutores com idade entre 18 e 34 anos. Habilitados com idade entre 35 e 49 anos representam 33% do total, enquanto pessoas com mais de 50 anos são 39% dos condutores. A comparação com os dados do Infosiga SP envolvendo condutores vítimas de acidentes comprova a menor incidência de ocorrências fatais entre os motoristas mais velhos.

 

De janeiro a outubro deste ano, 2.505 condutores perderam a vida em acidentes, o que representa 61,3% do total de vítimas (4.085). Destes, 42,4% têm entre 18 e 34 anos; 28,5% de 35 a 49 anos; e 24,5% mais de 50 anos. Os demais (4,6%) têm menos de 18 anos ou não há identificação precisa da idade da vítima.

 

Entre pessoas com mais de 50 anos de idade, a relação é de 6,7 fatalidades de condutores para cada 100 mil habilitados. Número 2,4 vezes menor na comparação com jovens entre 18 e 34 anos de idade (15,8 acidentes fatais a cada 100 mil habilitados) e 1,3 vez menor na comparação com a faixa entre 35 e 49 anos (9 acidentes a cada 100 mil habilitados).


Leia também