Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Saúde e Beleza | 06/02/2021

Coronavírus

Júlia Mendes é médica dermatologista e pediatra. CRM: 101090-SP / RQE: 32157/ RQE: 27484

Pandemia será resolvida com 'imunidade de rebanho', defende médico.

Até agora os conhecimentos sobre o coronavírus se baseavam em “achismos” tanto das autoridades como da população. Isso inclui a promoção de medicamentos comprovadamente ineficazes, o que reflete a tendência psicológica humana na procura de soluções fáceis para problemas difíceis.

 

Esta pandemia, como as precedentes, será resolvida com a “imunidade de rebanho”. Felizmente ela poderá ser atingida com mais rapidez e menor custo de vidas pela aplicação de vacina que já está chegando. Não é ainda a ideal, mas tem valor já estabelecido.

 

Síntese atualizada

1- Vacinas eficazes, (não ideais), seguras, disponíveis e gratuitas

2- Precisa 2 doses (que pena!)

3- Leva 2 a 3 semanas para fazer efeito

4- Prioridade para a população de risco (pessoal médico, idosos)

5- Quem já foi infectado também deve tomar a vacina

6- A % da população a ser vacinada para imunidade de rebanho: ideal 100% mínimo 60% - 70%

7- Vacinado pode ter a doença, mas o risco diminui e a gravidade é leve a moderada

8- Então continuar as medidas gerais padronizadas vale este ano inteiro

 

DR. JAYME MURAHOVSCHI
Professor Livre-docente em Pediatria Clínica
1 º Professor de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas de Santos (1971-2006)
Autor do livro Pediatria: diagnóstico + tratamento. 7a. edição
Pediatra geral convicto e atuante

 

 

 

 

 


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete a linha editorial e ideológica do Jornal da Orla. O jornal não se responsabiliza pelas colunas publicadas neste espaço.


Leia também

Colunistas | 16/10/2021
Colunistas | 09/10/2021
Colunistas | 02/10/2021