Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cultura/Dança | 08/02/2021

Bailarino de São Vicente representa o Brasil na Suiça

Divulgação

Andrey Jesus recebeu título de Melhor Jovem Artista e a 3ª colocação no 49º Prix de Lausanne.

Da Favela do Charmes (SV) à Suíça. Andrey Jesus, de 16 anos, do Balé Jovem de São Vicente, foi duplamente premiado na competição internacional do Prix de Lausanne, que neste ano aconteceu on-line, devido à pandemia do coronavírus. Ele foi consagrado com o prêmio de Melhor Jovem Artista, oferecido pela Rudolf Nureyev Foundation; e conquistou a 3ª colocação no ranking final. Por isso, ganhou uma bolsa de estudos oferecida pela Foundation Albert Amon. Quase 400 bailarinos se inscreveram para participar da prova.

 

Andrey Jesus foi um dos seis jovens finalistas contemplados com bolsas pela 49.ª edição do prêmio, para o qual 399 bailarinos, de 43 países, se inscreveram para participar. Inicialmente, foram selecionados 82 candidatos. Destes, 78 chegaram à fase competitiva e 20 foram escolhidos para a final, que aconteceu pela internet, neste último fim de semana.

 

“É um sonho realizado. Desde pequeno, eu assisto a esse grande concurso e pensava em me ver, ali, entre os melhores bailarinos do mundo. Estou muito feliz e agradecido às minhas professoras e a todos que me incentivaram”, conta Andrey Jesus.

 

Os seis premiados com bolsas de estudos terão a possibilidade de escolher uma escola ou companhia de dança parceiras do Prix de Lausanne para estudar, durante um ano, com todas as despesas pagas. O bailarino e as diretoras e professoras do Balé Jovem de São Vicente, Geyssa Alencar e Sabrina Olimpio, agora têm a difícil missão de escolher onde vai ser a continuação do estudo em uma grande escola da Europa ou dos Estados Unidos. 

 

“Este é um festival que transforma a vida dos bailarinos e dá todo o suporte para que eles realizem seus sonhos. Andrey é um dos alunos que foi contemplado com bolsa de estudos no Balé Jovem, quando ele tinha 7 anos. De lá para cá, ele vem crescendo, conquistando prêmios e com certeza será um grande profissional”, diz Sabrina.


“Estamos todos muito felizes pelo reconhecimento de nosso trabalho: de representar nosso País e a nossa Cidade. Andrey não poderia ter recebido prêmios melhores, além do reconhecimento técnico e da bolsa de estudos, foi o grande destaque da prova, provando, mais uma vez, que além do trabalho, dança com alma e é guiado pelo coração”, comemora Geyssa.

 

A primeira bailarina da Baixada Santista que participou do Prix de Lausanne foi Verônica Vasconcelos, também do Balé Jovem, em 2013. Por meio do concurso, ela conquistou uma bolsa de estudos para Manhein, na Alemanha, e hoje está contratada no Ballet Ópera de Metz, na França.

 

O Prix de Lausanne é uma das maiores competições - e a mais importante - dedicadas à dança. Foi criado em 1973 e é gerido pela Fondation en Faveur de l'Art Chorégraphique.


Leia também