Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Clara Monforte | 01/05/2021

Olhos nos Olhos com Eduardo Silveira

Clara Monforte é advogada e colunista social, autora dos livros "Claríssima" e "Almanaque social"

Há 30 anos o empresário se dedica a área de turismo.

EDUARDO SILVEIRA é coach, consultor, analista de turismo e empresário. Há 30 anos se dedica a área de turismo. Está presidente da Associação dos Profissionais do Turismo da Baixada Santista e criou, em parceria com a ATP, a campanha INDIQUE UM EMPREENDEDOR, lançada pela diretoria dessa entidade. 

 

Por que a escolha do turismo, como profissão?

Costumo dizer que “as pessoas não procuram o turismo, o turismo é que encontra as pessoas”. Amo viajar. Sou um turista eterno. Como técnico tenho um olhar diferente, me aproximo da cultura e em cada lugar tenho um ponto de conexão. Os países que mais me impressionaram foram os Emirados Árabes, a Rússia e a nossa terrinha, Portugal.

 

Você criou a PROMOTUR - Promoção, Marketing e Eventos em Turismo. Como funciona?

A empresa surgiu de estudos sobre outras vertentes e também sobre as dores do mercado. Construi, então, a empresa baseada em soluções. Fazemos eventos presenciais, on line e híbridos, marketing digital e promoções. Somos representantes da GTA Assist, uma grande empresa de Seguros de viagem e damos suporte para agentes, que nos consultam para melhor desenvolverem o turismo na região.

 

Algum evento à vista?

Para o segundo semestre faremos, em parceria com Associação dos Profissionais de Turismo, o FESTIVAL SANTOS LOVERS, de cultura, música, para resignar o turismo receptivo, e os motivos pelos quais as pessoas amam Santos e, também, porquê receber bem os turistas.

 

O turismo foi uma das áreas mais atingidas com a pandemia?

Posso dizer que foi a mais atingida. Quando falo em turismo, sob o ponto de vista econômico, me refiro a 50 atividades econômicas com profissionais, sub profissionais coligados a essas áreas que pararam de trabalhar, totalmente. Exemplo:os guias de turismo que apresentam as histórias, estão há 14 meses sem trabalho, com turismo e passeios virtuais. 

 

Como funciona a Campanha “INDIQUE UM EMPREENDEDOR”?

Vimos que muitas empresas fecharam, muitas pessoas perderam os seus postos de trabalho e tiveram que se reinventar...”todo mundo tem um talento”. Olhando para isso, tentando ajudar estas pessoas, surgiu a Campanha, que divulgamos através das redes sociais, Instagram, Facebook, convidando a participarem.

 

Quem pode participar?

Qualquer pessoa, desde que faça algum trabalho, bolos, artes, costura, handmade, artesanato e outros. Os interessados nos procuram, analisamos e entramos no perfil deles, fazemos contato, posts através do nosso departamento de marketing e republicanos nas nossas redes sociais, ou seja, damos visibilidade para quem não é visto.

 

Quantos indicados vocês já têm?

A Campanha é recente, começou no mês passado, em março, e já temos mais de 200 indicações e uma fila de mais de 100 para participarem. Não vamos parar. É a missão do turismo com a comunidade. É o nosso papel na sociedade. De mãos dadas sairemos dessa situação ruim.

 

Vocês têm recebido feedback?

Bastante! As pessoas estavam tristes, desagastadas emocionalmente, chegando no limite. São depoimentos muito comoventes.

 

Qual a palavra que conduz a sua vida?

A de 2021 é acolhimento.


Os momentos de lazer são imprescindíveis, para uma vida saudável. Há quem aproveite os sábados e domingos para executar tarefas que teriam que ocorrer na semana seguinte, objetivando viabilizar o tempo ou até diminuir o serviço, antecipadamente. Assim, não descansam, não relaxam, não se divertem, não ouvem uma boa música, não aproveitam um agradável bate papo com alguém interessante e, ao contrário do que pensam, também não resolvem as tarefas. Outras surgem e se forma um verdadeiro círculo vicioso. Daí, as segundas-feiras tornam-se pesadas e maçantes. Não vale a pena.


Na página, pessoas que pensam assim e vivem com sabedoria, clicadas no final de semana passado. Confira galeria abaixo.


Amizade ou amor?

Qual desses sublimes sentimentos nasce primeiro, numa relação? Até onde sabemos, “amizade” é uma grande afeição, simpatia e consideração entre pessoas. “Amor” é um sentimento que se manifesta de diferentes formas, por pessoas, animais e coisas distintas. Até aí, tudo bem. Mas, não é fácil sabermos quando é um e quando é o outro que faz nosso coração bater mais forte. Ou, é tão fácil que nós é que complicamos. Ou, ainda, por qualquer razão, nos enganamos e preferimos não admitir que a amizade cedeu lugar ao amor. 


O curioso é que todas essas hipóteses causam um bem estar, também inexplicável. É algo meio misterioso! E, por vezes, também acarretam medo de perdermos aquilo que nem sabemos o que sentimos. Paradoxal demais. É triste perdermos uma amizade e tão triste quanto...perdermos um amor. Isso é óbvio. Afinal, o que concluirmos? Quem nasce primeiro? O amor ou a amizade? Normalmente, pensamos com a razão. No entanto, com o tempo, só o coração responderá, porque a mente...mente para nós!


Galerias de imagens

13.04.2018

Olhos nos Olhos com Eduardo Silveira

Leia também