Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cotidiano/Comportamento | 04/05/2021

O estresse está fora de controle? Assista esse filme do Netflix

POR EMERSON ANDRADE PACHECO
conteúdo patrocinado

Como psicólogo, tenho conversado com muitas pessoas que estão extremamente estressadas em face dos desafios que estão enfrentando neste momento: perda de receita ou do emprego; conviver de perto com doença ou perda de familiares, amigos e conhecidos, e lidar com a nova realidade do home-office e os desafios que isso traz para a vida doméstica.  


Seja qual for a situação pela qual esteja passando agora, a má notícia é que não podemos fugir do estresse atual, mas a boa notícia é que podemos escolher se esse estresse vai nos trazer dano físico e emocional ou crescimento. Como assim?


O estresse é inevitável, mas sentir eustresse ou distresse depende de sua mentalidade


A ciência nos mostra a forma como interpretamos mentalmente o estresse determina a qualidade de como sentimos esse estresse como um estresse motivador, ou eustresse, ou desmotivador, ou distresse.  A curva do estresse de Yerkes-Dodson mostra as diferentes formas de sentir o estresse e seu impacto na sua performance no trabalho e na vida.
 

 

O eustresse atua como um motivador para estudar para a prova, para se preparar para aquela apresentação difícil  ou para uma entrevista de emprego, porque acreditamos que podemos superar o desafio, ou como um estresse desmotivador, quando achamos que não temos a capacidade de enfrentar o problema e ele está fora de nosso controle: a pandemia, as decisões políticas dos governantes, a situação econômica, todas essas situações externas podem parecer totalmente fora de nosso controle e nos deixar desanimados e esgotados.


A sacada é que você pode escolher em que lado da curva do estresse está, dependendo da mentalidade que cultiva. 


Pessoas que encaram seus problemas e desafios como oportunidade para desenvolver suas habilidades e talentos tendem a sentir mais eustresse. Já as pessoas que acreditam que suas habilidades são mais ou menos fixas e que os problemas são apenas um entrave para sua felicidade e não se sentem capazes de desenvolver novas habilidades para lidar com as crises tendem a sentir mais distresse. De que lado você quer estar? 


Não importa de que lado esteja neste momento, meu convite é: 


Que tal fazer um exercício simples para desenvolver capacidade de lidar com seu estresse?


Se topa o desafio, provavelmente já está adotando uma mentalidade de crescimento!


Para isso, quero propor um exercício de mudança de mentalidade bem simples que extraí das longas horas que assisto Netflix com minha esposa, especialmente os Doramas coreanos e chineses e que tenho aplicado com bons resultados com meus clientes de terapia. Espero que seja útil para você também!


Experimente imaginar a situação que mais deixa você estressada ou estressado atualmente, como uma cena de um filme do Netflix. Pode ser uma situação familiar, profissional etc. Importante apenas que você possa lembrar de uma cena que te incomode bastante e estresse você, que seria uma boa candidata a um filme de terror, suspense ou ficção científica. Estou exagerando, mas você pegou a ideia. Se essa cena te causa arrepios ou ansiedade só de lembrar, está no caminho certo. 


Antes de tudo, pegue um papel e caneta e procure um lugar tranquilo para fazer esse exercício. (se não for tranquilo, tudo bem... não precisa se estressar por isso rs)


Primeira Cena – Filme de terror legendado 
Na primeira parte do exercício, procure colocar legendas em seus pensamentos típicos nesta situação, coisas que você pensa sobre você mesmo, sobre os outros e sobre a situação que te estressa. Não censure os palavrões, as ofensas e comentários depreciativos em relação a você mesmo e à vida, e que ajudam a explicar por que você tende a se sentir tão mal quando assiste a esse filme... sugiro que escreva tudo num papel...


Segunda Cena – Dorama Coreano sem legenda
Agora, imagine que esse filme é um Dorama coreano ou chinês, sem legenda. De propósito, você está ouvindo todos os diálogos da vida real nessa língua que você não faz ideia do que significa. Veja como olhar o filme mental de uma situação de sua vida em um idioma desconhecido pode te trazer um distanciamento que te ajude a ver melhor a situação. Mas não para por aí.


Terceira Cena – Dorama Coreano com legenda otimista
Agora, experimente voltar o filme e assumir o papel de roteirista que vai colocar a legenda em português no filme chinês. Assuma uma atitude otimista e esperançosa e escreva no papel as legendas em português que reflitam uma mentalidade de crescimento: essa situação toda pode te trazer crescimento, aprendizado, e por mais que seja duro, doloroso e difícil, uma hora vai passar e você poderá se tornar uma pessoa mais crescida, forte e madura.


Como um músculo, as forças de caráter se desenvolvem na musculação dos desafios da vida.


Mesmo que não acredite muito no que está escrevendo no início, experimente fazer o exercício de colocar as legendas otimistas, e provavelmente sentirá eustresse só por escrever de forma diferente...


Quarta Cena: O filme Netflix dos seus sonhos
Por fim, visualize uma cena do filme com um desfecho dos seus sonhos, de superação do desafio ou problema, com você saindo mais forte, competente, experiente, de toda essa dificuldade.


Pode parecer Polyana no início, mas se dê permissão de criar um filme com legendas que te empoderem e te devolvam a esperança e o controle. E se isso for difícil de fazer sozinho, peça ajuda a um amigo que você saiba que é otimista e positivo. 


Certamente seu estresse não vai desaparecer, mas aposto que, com um pouco de prática, você tenderá a ver a situação com uma nova lente, com um pouco mais de bom humor, não apenas por lembrar do Dorama coreano, mas por começar a perceber que tem algum controle, senão da situação, pelo menos das legendas que você coloca em sua própria mente. Experimente!


Para saber mais, consulte meu Linktree. linktr.ee/emersonpacheco

 

 

* Emerson Andrade Pacheco é psicólogo, trainer de PNL e neurossemântica, metacoach de alto desempenho e sócio proprietário da Satori Desenvolvimento Humano


Leia também