Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Fronteiras da Ciência | 22/05/2021

Caminhos alternativos

Jadir Albino é apresentador do programa "Fronteiras da Ciência", exibido aos domingos, às 19h, na Santa Cecília TV, com reapresentação aos sábados, às 21h.

Freepik

Embora a rudeza desta pandemia, o Grande Arquiteto do Universo teve o cuidado de nos permitir alternativas em nossas rotas.

Quando temos alguém que depende essencialmente de nossos cuidados, sentimo-nos como a pequena ave que precisa alimentar seus filhotes na boca.


Como ela, precisamos alçar voo em busca do alimento e providenciar o aconchego do ninho.


Thereza, portadora de problemas mentais, é uma dessas criaturas que para tudo depende do cuidado alheio.


Sua filha a internou em uma Casa de Repouso, a fim de que pudesse ter a atenção devida, enquanto ela mesma se envolvia no trabalho profissional, a fim de atender aos gastos.


Filha amorosa, a visitava de forma regular e constante. Até chegar a pandemia.


O coração ficou em frangalhos. Como não ir abraçar sua mãe, demonstrar-lhe carinho, mesmo em seu estado de confusão mental?


Enquanto as preocupações a tomavam, lembrou do que ouvira dos lábios da mãe, nos seus tempos de lucidez: 


-Minha filha, sempre existe uma rota alternativa!


Ryan pediu a Deus que lhe mostrasse um caminho.


Então, ela soube que a Instituição estava admitindo pessoal para a lavanderia. Não teve dúvida. Candidatou-se e foi aceita.


Um trabalho de meio período, o suficiente para poder ver a mãe todos os dias.


-Sim, -considerou ela: -sempre há uma rota alternativa. 


Por vezes, basta que tenhamos um pouco de paciência e fiquemos atentos às oportunidades que surgem.


[com base na Redação do Momento Espírita]


Quantas impensáveis rotas alternativas criamos, neste último ano, em todo o nosso planeta!


Vimos as crianças reclusas em seus lares, precisando que seus pais as auxiliassem nas tarefas escolares.


Como pais, tivemos que nos submeter a novas rotas para cumprir as tarefas profissionais, e dispormos desses momentos.


As crianças ficaram como avezinhas engaioladas em casa, sem poderem passear, ir ao parque, ao cinema, à casa dos amiguinhos.


No início, houve dissabores, reclamações, inquietude. Aos poucos, fomos verificando as vantagens dessa aproximação, que vem criando e fortalecendo saudáveis elos familiares.


Quantos de nós, que permanecíamos trabalhando em departamentos variados, hoje, com nova rota, desenvolvemos nossa atividade em casa.


O convívio entre casais e filhos, em tempo maior, despertou sentimentos adormecidos, restaurando a alegria de estarmos juntos, com a cumplicidade mútua e a união desejada.


O trabalho dos professores sofreu mudança incrível, onde o contato virtual substituiu a rota há muito utilizada, mas que permitiu a continuidade do aprendizado.


Os escritórios tiveram suas salas esvaziadas, pois os funcionários executam suas tarefas em seus próprios lares.


As comunidades religiosas fecharam suas portas, e as reuniões, estudos e atendimentos são realizados virtualmente.


Nas famílias, com a maior aproximação entre seus membros, oramos juntos, em louvor, pedidos e gratidão a Deus.


Embora a rudeza das provas desta pandemia, o Grande Arquiteto do Universo teve o cuidado de nos permitir belas alternativas em nossas rotas.


Se houvesse acontecido há meio século, não teríamos a Internet, o celular, o WhatsApp e tantos aplicativos. 


Não teríamos, enfim, as rotas alternativas de que desfrutamos.


Descubramos a que melhor nos sirva.


PAZ, SAÚDE E PROSPERIDADE
 


Leia também

Colunistas | 24/07/2021
Colunistas | 17/07/2021
Colunistas | 10/07/2021