Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Mundo Pet | 29/05/2021

Como dar remédio para cachorro ou gato

É repórter do Jornal da Orla e "mãe" de dois cães, a Lola e o Paluza

Fotos: Freepik

Medicar o pet não é uma tarefa fácil, mas algumas dicas podem ajudar os tutores.

Um dos momentos de tensão para tutores de pets é quando o animal de estimação fica doente e precisa ser medicado. Na maioria dos casos, dar remédio para cães e gatos não é uma tarefa fácil. A médica Jade Petronilho, da Petlove, destaca que os donos de gatos estão em desvantagem nessa hora: 


“Os felinos possuem um paladar mais exigente, olfato apurado e podem facilmente perceber o medicamento no meio da comida. Diferentemente de alguns cães, que engolem sem pensar duas vezes, o gato tende a “investigar” a refeição antes de comer”, diz. 


O ideal é que os pets sejam acostumados a serem medicados desde jovens. “Quando temos um filhote em casa, é indicado que os tutores minimizem situações, sempre associando com algo positivo. Fingir que dá um comprimido e, a seguir, fazer carinho ou dar algo que ele gosta de comer, será algo que ele levará para toda a vida”, afirma. 


Outras dicas da especialista podem lhe ajudar nesta tarefa:

Use a hora da comida para medicar

O tutor pode aproveitar a hora da refeição para fazer o pet engolir o medicamento sem perceber. Uma das maneiras é misturar o comprimido na ração, sem que o pet veja. Outra forma é esconder o comprimido em uma comida mais pastosa. Existem diversas opções de rações úmidas e patês nas petshops. 

 

Aposte nos petiscos
Se mascarar o remédio na ração não obtiver sucesso, é hora de apelar para a comida favorita do pet. Pode ser carne, legume ou fruta. A banana é uma ótima pedida, pois a maioria dos cães adora e é fácil de colocar algo dentro. 

 

Comprimido ou cápsulas para os felinos
No caso dos gatos, siga o passo a passo indicado pela veterinária: abra a boca do pet com gentileza; coloque o comprimido o mais profundo possível na boca dele; feche a boca do pet por 30 a 40 segundos, mantendo a cabeça inclinada para cima; faça leve massagem na região da garganta dele. 

 

 

Outra dica é enrolar o gato em uma toalha, para que nem ele nem o tutor se machuque no procedimento. Se for um tratamento para parasitas, uma opção mais palatável são os vermífugos em forma de pasta. Existem também aplicadores de comprimidos, tanto para cães como para gatos, que podem ser encontrados nas petshops. 

 

Remédios líquidos
Neste caso, o tutor vai precisar de uma seringa (sem agulha). A técnica é manter a boca fechada do pet com a cabeça inclinada para cima. Levante delicadamente o lábio do pet. Coloque o bico da seringa e insira o máximo possível pela lateral da boca do animal, entre os dentes e a gengiva, injetando lentamente o remédio. No caso do cãozinho, para evitar que ele cuspa o remédio, o tutor pode fechar a boca dele e soprar levemente o focinho (isso faz com que o pet queira lamber o nariz). Alguns cães regurgitam a medicação minutos depois da ingestão. Portanto, o tutor precisa ficar atento. Nesses casos, o veterinário deve ser consultado para saber como agir.
 


Leia também