Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Regional | 17/06/2021

Cães da GCM de São Vicente se aposentam após importantes serviços prestados à sociedade

PMSV

Aos oito anos, os cães da raça pastor belga de mailinois encerram suas atividades.

Dos nove cães em atividade no Canil da Guarda Civil Municipal de São Vicente, dois vão se aposentar em breve. Os cães da raça pastor belga de malinois, Astor e Chacal, ambos com oito anos, encerram com louvor suas carreiras, com importantes serviços prestados à comunidade vicentina.

 

Segundo o subcomandante da GCM de São Vicente, Rubens Góes, Astor e Chacal já são considerados idosos e esta é a idade em que a equipe canina começa a se aposentar.

 

 “Geralmente os cães se aposentam nessa idade devido ao processo natural de envelhecimento, pois perdem a resistência e, consequentemente, força muscular, massa óssea e agilidade, podendo inclusive se lesionar durante um salto da viatura, por exemplo”, explicou Góes.

 

Serviços Prestados
Com pouco mais de cinco anos prestando serviços no canil da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Vicente, Astor, nascido em 13 de outubro de 2013, realizou patrulhamentos e serviços de guarda e proteção.


Entre as ocorrências em que ele teve participação ativa, está o flagrante de porte ilegal de arma de fogo, ocorrido em 2017, quando um indivíduo foi abordado pelo agente da GCM na Praça João Pessoa. Astor foi responsável por localizar a arma de fogo. 

 

Também como K-9 atuante, o cão Chacal se aposentará em 23 de junho deste ano, dois dias antes de completar nove anos de idade. Ele ingressou no canil vicentino em 31 de julho de 2013 e, além de trabalhar em guarda e proteção, é especialista em farejar e encontrar entorpecentes.

 

Uma das de suas principais ações foi a participação na localização e apreensão de drogas em 2019, no bairro Humaitá, na Área Continental da Cidade. No mesmo ano, em operação com a equipe ambiental no Japuí, Chacal localizou entorpecentes e dinheiro escondidos. Em março de 2020, o cão também ajudou na localização de um corpo soterrado no Parque Prainha, após forte chuva e diversos deslizamentos registrados na Baixada Santista naquela ocasião. 

 

Ao se aposentarem, os cães geralmente ficam com seus respectivos condutores ou acabam sendo adotados por algum integrante da corporação. 


Leia também