Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Medicina e Saúde | 10/07/2021

Brincadeira sem hora

Marcio Aurelio Soares é médico e escritor.

Visitas regulares aos urologistas são indicadas a homens a partir dos 50 anos.

Certos tipos de brincadeiras são bem típicas de rodas masculinas, principalmente quando acompanhadas de uma cervejinha. Isso é muito bom e, como dizia meu pai, “ajuda a desopilar o fígado”. 

 

Os mais jovens devem estar se perguntando que expressão é essa. Se o meu pai já a utilizava, imaginem o quanto ela é antiga. Desopilar o fígado significa combater o mau humor, se distrair.

 

Há milênios, o fígado é relacionado às emoções e ao excesso de raiva. Para a medicina tradicional chinesa, o estado de um órgão afeta as emoções e as emoções afetam o estado de um órgão. O coração relaciona-se à alegria, o baço ao pensamento e preocupação, o pulmão à tristeza, o fígado à raiva e o rim ao medo. 

 

Já para a medicina ocidental, doenças como a cirrose e a hepatite podem se agravar e desencadear um distúrbio chamado encefalopatia hepática, estado clínico grave que pode gerar distúrbios de personalidade, agressividade e comportamento rude. Isso porque o fígado tem como uma das funções a excreção de toxinas, de substâncias presentes em algumas drogas e da bilirrubina, que dá cor característica à bile. 

 

Cólera vem do grego kholé que significa bile; assim, colérico é quem tem diarreia biliosa ou um “desarranjo biliar”. Parece complicado, mas não é. Ao estudar as doenças e as origens de seus nomes, vamos entrando em um mundo muito curioso e fascinante e entendendo a evolução do conhecimento humano. A doença infecciosa cólera, cuja principal característica clínica é uma profusa diarreia, tem esse nome porque os antigos relacionavam a sua diarreia à bile. 

 

Estava dizendo, brincar, ainda mais para quem já é adulto, ajuda muito a afastar o mau humor e esses estados coléricos, hoje tão comuns em algumas pessoas, especialmente, quando se fala de política, uma má política, é verdade. E não me irrite! rs

 

Nós, homens, brincamos muito quando tratamentos da prevenção às doenças da próstata, órgão masculino importante para a fertilidade ao produzir parte do sêmen que nutre e protege os espermatozoides. As piadas já são famosas. Basta um amigo fazer 50 anos que um engraçadinho vem com aquela famosa piada: “Não esqueça de mandar flores para o seu urologista”. 

 

Na minha opinião, essa descontração, ajuda aos mais tímidos entenderem a importância do toque retal como medida preventiva, que está indicado para ser realizado em homens de 50 anos ou mais, mesmo sem sintomas de doença e, a partir dos 45 anos, naqueles que têm histórico de câncer de próstata na família antes dos 60 anos.

 

Ninguém vai ficar colérico com o amigo piadista; ao contrário, vai participar da brincadeira e brindar pela saúde de todos.


Leia também

Colunistas | 17/09/2021
Colunistas | 10/09/2021
Colunistas | 03/09/2021