Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Novo Coronavírus/Novo Coronavírus | 23/07/2021

Pessoas em situação de rua recebem vacina contra a covid-19 em Santos

Francisco Arrais/PMS

Este público está recebendo imunizante de dose única.

A saída da vida das ruas depois de 10 anos, programada para os próximos dias, agora conta com um elemento a mais: a proteção contra a covid-19. É essa fase da vida de Marco Antonio da Silva, de 52 anos, que recebeu na quinta-feira (22) a imunização com a vacina Janssen. Ele foi uma das pessoas em situação de rua abordadas pela equipe do Consultório da Rua, da Secretaria de Saúde de Santos, junto à Gruta Nossa Senhora de Lourdes, no José Menino.

 

Antes de iniciar a ação no José Menino, 171 pessoas em situação de rua já haviam recebido a vacina contra a covid-19, desde março deste ano, segundo explica a chefe do Consultório da Rua, Luciana Werneck. "Hoje optamos pela vacina de dose única para termos a certeza de que essa população estará 100% imunizada, já que muitos circulam de uma cidade para outra". Na noite desta quinta-feira (22), o Consultório de Rua estará no abrigo de emergência da Secretaria de Desenvolvimento Social.

 

Luciana destaca que a adesão à imunização contra a covid-19 entre as pessoas em situação de rua é alta. "Eles não fazem perguntas sobre o tipo de vacina, apenas questionam se há algum efeito colateral".

 

Não escondendo a satisfação de tomar a vacina, Marco Antonio contou que espera também ser imunizado contra a gripe. "Graças a Deus estou tomando essa contra a covid-19".

 

SENSAÇÃO DE PROTEÇÃO
Sérgio Augusto Trindade, 46, se encontra temporariamente na rua depois que o barraco onde morava pegou fogo. Ele também foi vacinado contra a covid-19 nas proximidades da gruta no José Menino. "Agora, me sinto mais protegido", comentou. "Na pandemia, o pessoal que está na rua tenta usar máscara para se proteger".

 

Esbanjando simpatia, Raquel Jordy, 44, também se aproximou do carro do Consultório da Rua para receber a vacina. Um pouco temerosa quanto à possível dor causada pela agulha, ela enfrentou esse temor para se imunizar. "Achei o máximo quando comentaram que estavam oferecendo a vacina. Todos deveriam se vacinar".

 

MESMA FAIXA ETÁRIA
Luciana Werneck informa que a vacinação das pessoas em situação de rua em Santos segue a mesma faixa etária dos demais moradores da Cidade. Nos casos em que a pessoa não apresenta documento, é checado se ela tomou ou não a vacina com a verificação do nome dela e da mãe. Daí se chega ao número do cartão SUS, onde é feito o registro no Vacivida (plataforma do Governo do Estado que registra os vacinados paulistas).

 

A vacinação das pessoas em situação de rua segue nesta sexta-feira (23) no Albergue Noturno e na Seção de Acolhimento e Abrigo Provisório de Adultos, Idosos e Famílias em Situação de Rua (Seabrigo).


Leia também