Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Notícias/Política | 24/07/2021

Boulos quer uma esquerda renovada

Reprodução

Pré-candidato a governador de SP afirma que PSOL vai construir agenda popular e democrática.

Pré-candidato do PSOL a governador de São Paulo, Guilherme Boulos afirma que o partido quer construir um projeto mais arejado, com uma visão mais popular e democrática. “Nós vemos a possibilidade e necessidade de virar a página de 30 anos de PSDB no Governo do Estado. Virou quase uma capitania hereditária”, disse, ao participar do programa Ponto de Vista, na Santa Cecília TV.


Boulos esteve em Santos na quarta-feira (21) dando continuidade à sua Virada Paulista, “um giro pelo estado para dialogar com diferentes setores da sociedade, ouvir as necessidade e os desafio de cada região”. A agenda dele incluiu visitas à Diocese de Santos, à Associação Comercial e reuniões com vereadores “progressistas” e lideranças comunitárias.

 

Aposta em Rodrigo Garcia
Boulos acredita na formação de uma candidatura única do campo ideológico mais à esquerda, tendo ele como cabeça de chapa e apoio do PT. Segundo ele, haverá um segundo turno entre um candidato progressista e outro mais conservador. Para Boulos, o atual vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB) deve levar vantagem na disputa com o ex-governador Geraldo Alckmin (que deve trocar o PSDB pelo PSD) pelos eleitores de centro e de direita. “Você não pode subestimar a habilidade política de Rodrigo Garcia e o peso da caneta de governador, o que ele será na época da eleição”, ponderou.


Mas e peso negativo do governador João Doria, que é muito mal avaliado pela população, não vai atrapalhar? “Rodrigo Garcia vai fazer o que o Bruno Covas fez na eleição para prefeito de São Paulo. Vai dizer: “Doria, nem te conheço...”, disse Boulos.
 


Leia também