Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Colunistas/Saúde e Beleza | 14/08/2021

Microagulhamento de ouro com tecnologia robótica e radiofrequência 3D

Júlia Mendes é médica dermatologista e pediatra. CRM: 101090-SP / RQE: 32157/ RQE: 27484

Pixabay

Um dos mais modernos procedimentos estéticos dermatológico realizado para o rejuvenescimento da pele é a combinação de microagulhamento de ouro, com tecnologia robótica e radiofrequência 3D.

 

Essa associação de tecnologia é feita simultaneamente; no mesmo tratamento.

 

Trata-se de uma nova geração da radiofrequência (4ª geração), que penetra mais profundamente através das microperfurações feitas pelo microagulhamento de ouro. 

 

INDICAÇÕES:

 

Melasma

 

Estrias

 

Poros abertos

 

Tratamento de cicatrizes de acne 

 

Tratamento de cicatrizes cirúrgicas

 

Queda de cabelo

 

Suaviza as linhas de expressão

 

Redução de rugas superficiais e profundas

 

Melhora da textura da pele

 

Estimula a produção de colágeno e elastina

 

Combate à flacidez facial

 

Melhora a regeneração da pele

 

Trata a aparência envelhecida da pele

 

Aumenta da luminosidade da pele 

 

Melhora o clareamento da pele.

 

 

COMO É O MICROAGULHAMENTO DE OURO ROBÓTICO?

 

As microagulhas possuem de 0,1 até 5,0 mm de comprimento. 

 

É programado antes a profundidade de penetração das agulhas na pele, de acordo com a localização na face e o objetivo do tratamento.

 

As agulhas são banhadas a ouro

 

O ouro é o melhor metal para penetrar na nossa pele, sendo o melhor condutor de energia e calor.

 

O microagulhamento, através de uma ação mecânica, cria orifícios minúsculos na pele, onde os mecanismos de defesa do nosso organismo conseguem fechar esses micros furos em minutos, sem deixar marcas na pele e consequentemente ocorre o aumento da produção de colágeno. 

 

Como se fosse um “carimbo”, o conjunto de micro agulhas finas de ouro penetram na pele a 90 graus, de maneira precisa e rápida.

 

Quando as agulhas atingem a profundidade programada é liberado a radiofrequência de última geração.

 

O PROCEDIMENTO:

 

Aplicação é feita com o uso de creme anestésico prévio e/ou outro método para tornar o procedimento mais confortável. 

 

Após o procedimento, você poderá sentir sensibilidade e vermelhidão que desaparecerão depois de algumas horas. 

 

Não há necessidade de afastamento das atividades diárias. 

 

Tem sido feito o “drug delivery” com vitamina C, imediatamente após o procedimento, baseado em que a vitamina C penetra mais profundamente na pele através dos microfuros.

 

 

RESULTADOS:

 

Os resultados esperados são visíveis entre 30 e 60 dias, uma vez que a formação do novo colágeno é um processo lento. 

 

Para efeitos expressivos na pele, é recomendável de 2 a 4 sessões com intervalo de 1 mês entre elas.

 

 

MICROAGULHAMENTO DE OURO ROBÓTICO x MICROAGULHAMENTO DE ROLLER:

 

As vantagens do microagulhamento de ouro robótico em relação ao microagulhamento de roller são:

 

No microagulhamento de ouro robótico a profundidade é precisa e realmente atingida.

 

No microagulhamento de ouro robótico não precisa do vai e vem, em vários sentidos, como no roller.

 

O microagulhamento de ouro robótico é mais rápido e mais tolerável que o de roller.

 

No microagulhamento de ouro robótico, as agulhas são banhadas a ouro, sendo o melhor metal para penetrar a pele e conduzir calor e energia.

 

A penetração das agulhas no roller é técnico dependente (vale a experiência do médico) 

 

A penetração das agulhas no roller é material dependente (tem materiais com qualidades inferiores, desde as agulhas, como a estrutura do próprio roller, que culminam na dificuldade precisa da penetração das agulhas)

 

No microagulhamento de ouro robótico (ação mecânica) tem ainda a vantagem da associação do laser de radiofrequência (ação térmica).

 

O microagulhamento de ouro robótico é mais seguro, com menos sangramentos, hematomas e efeitos colaterais.

 

Ambos devem ser descartados após o uso.

 

O tratamento com roller é mais barato.

 

DIFERENÇA DAS RADIOFREQUÊNCIAS: 

 

 

Radiofrequência Bipolar e multipolar: são mais superficiais e menos eficiente. 

 

 

Radiofrequência 3DEEP: flui de forma focada e profunda por sobreposição de calor.  


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete a linha editorial e ideológica do Jornal da Orla. O jornal não se responsabiliza pelas colunas publicadas neste espaço.


Leia também

Colunistas | 16/10/2021
Colunistas | 09/10/2021
Colunistas | 02/10/2021