Rádio Jornal da Orla/Digital Jazz

Ouça agora

Cultura/Roteiro Cultural | 15/09/2021

Cadeia Velha, em Santos, será transformada em polo para cursos na área da Cultura

Carlos Nogueira/PMS

Anúncio foi feito pelo secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

A cultura de Santos recebeu uma importante notícia na terça-feira (14): o edifício da Casa de Câmara Cadeia Velha irá receber os cursos do Fábrica da Cultura 4.0, projeto de formação nas áreas de cultura e economia criativa gerenciado pelo Governo do Estado e que contará com o apoio da Prefeitura de Santos.


O anúncio foi feito pelo secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, durante a entrega das obras de restauração das fachadas do prédio do Museu do Café, no Centro Histórico de Santos. No período da tarde, o secretário visitou as instalações da Cadeia Velha.


“Desde a primeira vez que estive em Santos como secretário, gestores da prefeitura, artistas e produtores da Cidade me procuraram para falar sobre o edifício da Cadeia Velha, e de como ele era importante para cultura e de seu valor histórico”, declarou Sá Leitão.


Ainda segundo o secretário de Estado, o ‘4.0’ é uma expansão dos cursos de artes já existentes, que agora também vão dispor de mais oportunidades de formação nos segmentos de tecnologia, inovação e economia criativa. “Além das linguagens tradicionais como artes cênicas, música, audiovisual e circo, nós também teremos aulas de programação, robótica e animação”.


O prefeito de Santos, Rogério Santos, ressaltou o trabalho conjunto entre o Estado e a prefeitura, que vai gerar renda e conhecimento, principalmente aos jovens em estado de vulnerabilidade social. “Estamos trabalhando sempre para conectarmos a política pública à gestão. Este é mais um bom investimento para Santos, e que, com certeza, vai complementar todo o nosso trabalho que já é feito na área da cultura e economia criativa”.


A proposta da Fábrica da Cultura 4.0 inclui em seu projeto educacional o foco para a ‘quarta revolução industrial’, impulsionada pela convergência digital e pela economia criativa. No local, artes presenciais e digitais darão corpo para propostas de formação e estímulo à criatividade, inovação e tecnologia. Segundo a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, este mesmo conceito será adotado em todas as unidades futuras e também nas já existentes. A primeira unidade 4.0 será aberta em outubro, em São Bernardo do Campo. 
 


Leia também